17.12.09

Azul

Agora o céu tem a cor do teu olhar, não é vó?
Sentimos sua falta, demais demais...
...

11.12.09

Da loucura

" (...) É tão difícil tirar um louco da sua seita quanto um louco da sua droga, porque os adeptos precisam do guru como se ele fosse uma substância química. A loucura também é injetável.

- E mata. - Concluiu o rapaz. - Mata muito."


[Catherine Clément: A viagem de Théo - p.52]


...

7.12.09

Silêncio

Porque o momento pede para calar.


...

27.11.09

Descompasso

Nada de listas, nada de cronogramas e horários. A vida não tem hora marcada para ser atendida. E é assim, nesse descompasso entre os ponteiros e os desejos, que estou aprendendo a lidar com os imprevistos.
...

19.11.09

Conclusão

Para estar ao seu lado, preciso estar dentro de mim.
...

12.11.09

Les rêves

O que fazer quando as possibilidades se mostram mais reais e aquele sonho, quase inalcansável, se apresenta para você com data, hora e local definidos?

É retomar o fôlego e seguir adiante.
*Update:
Trouxe o lustre de volta ao Blog.
Em tempos de Blackout, o que mais preciso é de luz no meu caminho.
...

30.10.09

A Luneta Mágica

Comprei um óculos escuro novo, de lentes bem grandes, para proteger os meus olhares dos teus. Maior a lente, maior a sensação de conforto ao sentir que não perceberás cada movimento repleto de cuidado. Eu sempre vejo demais, bem mais do que gostaria.
...

26.10.09

Tempero

É uma mistura de sensações, um medo de que dê tudo errado, de escolher o caminho sem fim, uma insegurança boba, quase infantil. E eu me vejo cada vez mais redundante, tentando romper um ciclo carimbado de desconfiança em mim mesma, alternando entre euforia e tristeza. Então você acorda leve e essa leveza mostra o passo a passo de cada dia, resoluções práticas antes impraticáveis, simples assim como uma receita de bolo mas sem o tempero especial. Cada um tem seus segredos para dar mais sabor a sua existência. Quando a gente pára e pensa, consegue finalmente compreender a simplicidade e a grandeza dessa vida.
...

22.10.09

Noite

E a coragem chega e vai com a mesma velocidade em que o pensamento confuso me embriaga. É essa certeza tão inexata que deixa o meu caminho turvo e manchado. Eu poderia simplesmente seguir, dar dois outros passos, mas não posso. Para mudar, uma palavra bastaria. Mas ela não chega, ela é muda. Cansei de lutar contra os fantasmas da noite insone.
...

10.10.09

Da alma

"Talvez algum dia eu esbarre em alguém. E nesse momento eu abra uma porta e diga:
- Olá, alma minha! - Mostrou com ambas as mãos como fazia para abrir a porta da alma."


[Jostein Gaarder - O dia do Curinga]


...

1.10.09

Dia Branco

Em dias assim, chego a conclusão de que a única coisa que importa, realmente, nessa vida é o teu olhar e o teu sorriso, tão lindo e sincero, e que ninguém nunca pode ver como eu vejo... Só eu posso ver. A explicação é simples: o que há entre nós é único e inigualável. Obrigada pelos momentos de amor e companheirismo, de cuidado e zelo, de sorrisos e lágrimas, de aventuras e desesperos, de sonho e pesadelo, de céu e inferno. Somos feitos de sombras e de sóis.
Feliz aniversário.
...

26.9.09

Werther

"Tudo quanto se acha fora de nós parace mais belo, e todos os homens mais perfeitos que nós. E isto é natural porque sentimos demasiado as nossas imperfeições e os outros sempre parecem possuir precisamente aquilo que nos falta. Em consequência, nós lhe acrescentamos tudo quanto está em nós mesmos e, para coroar a obra, concedemos-lhes também certa facilidade miraculosa que exclui toda idéia de esforço. E êis esse bem aventurado mortal convertido num conjunto de perfeições por nós mesmos criadas.

Ao contrário, quando perseveramos em nossos próprios esforços, apesar da nossa fraqueza e dificuldades, progredimos mais lentamente na porfia onde outros empregam vela e remo... Em suma, a gente sente o que vale quando alcança os outros na reta, ou mesmo os ultrapassa."

[Johann Wolfgang Von Goethe: Werther - Carta de 20 de outubro de 1771 - p.80]
...

17.9.09

Desconexões.

E a vida é assim mesmo. Tem momentos em que você simplesmente se cala, olha em volta e descobre que no fundo é só você e o seu sentimento. E no meio de tantas palavras, só o silêncio pode ser ouvido.


[...]

* Estreando layout novo, presente da queridíssima Faxina. Ficou lindo!!!

**Andressa e Pétala, muito obrigada pelo carinho e pelos selinhos.

...

8.9.09

Leite Derramado


"Eu por mim sonhava com você em todas as cores, mas meus sonhos são que nem cinema mudo, e os atores já morreram há tempos."

[Chico Buarque: Leite Derramado - p.15]
...

1.9.09

Via Láctea

Olhou para o céu e, com muita surpresa, recebeu um lindo presente. Não faz muito tempo, deitava o lençol de conchas no chão para observar as estrelas que se desprendiam do céu. A cada risco de luz, um sorriso e uma certeza iluminavam o seu rosto. Um pedido sincero, a esperança que nunca se distrai e as nuvens pinceladas de algodão avisando que estava na hora de sonhar. Os primeiros desejos foram realizados, todos eles. Ganhou mais um. Não teve dúvidas, fechou os olhos e agradeçeu por tudo que foi dado.
[...]
"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso"! E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...
E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.
Direis agora! "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"
E eu vos direi: "Amai para entendê-las:
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas"
Olavo Bilac
...

26.8.09

Felicidades

Não conseguiu dormir. A ansiedade era tanta que a fez contar os segundos enquanto observava o sol nascer. Aos poucos a lua alta desaparecia, anunciando que a grande hora havia chegado. Olhou pro céu, agradeçeu por aquele dia e desejou que ele fosse alegre o bastante e que todas as lágrimas, que porventura podessem cair dos seus olhos, fossem de felicidade. Tinha uma mania estranha de ficar triste nesse dia, avessa às demonstrações desajeitadas de carinho, às ligações sempre distantes, ao 'felicidades' que surgem por conveniência, sem muita verdade.

[...]

Ele havia prometido a si mesmo que naquele dia, eu sempre seria a mulher mais feliz do mundo. Nos outros também, mas aquele era bem mais especial. Sempre fazia coisas inacreditáveis para conquistar o meu sorriso, a minha alegria, e faz isso há cinco anos com bastante perfeição. O dia é amanhã, 27. É meu aniversário.
A mochila está pronta e a estrada nos espera.
Entre tantos presentes, ganhei também a chave do paraíso.
Nada se compara a beleza de Jericoaquara!
=)
...

21.8.09

Canto para a minha morte

Eu sei que determinada rua que eu já passei
não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
e que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez.
A morte, surda, caminha ao meu lado
e eu não sei em que esquina ela vai me beijar.
Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque?
Na música que eu deixei para compor amanhã?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada, e que está em algum lugar me esperando, embora eu ainda não a conheça?

Vou te encontrar vestida de cetim,
pois em qualquer lugar esperas só por mim.
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e não desejo,
mas tenho que encontrar.
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, que talvez seja o segredo desta vida.

Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu não escolhi na vida. Existem tantas...
Um acidente de carro.
O coração que se recusa abater no próximo minuto,
a anestesia mal aplicada, a vida mal vivida,
a ferida mal curada, a dor já envelhecida.
O câncer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe,
um escorregão idiota, num dia de sol, a cabeça no meio-fio...

Oh morte, tu que és tão forte, que matas o gato, o rato e o homem.
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar.
Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva.
E que a erva alimente outro homem como eu porque eu continuarei neste homem, nos meus filhos, na palavra rude que eu disse para alguém que não gostava e até no uísque que eu não terminei de beber aquela noite...
Raul Seixas: 28.06.1945 - 21.08.1989
...

19.8.09

We´re gonna rock around the clock tonight

Quem enviou: Dani faxina
Top of my chart: A Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10 [O álbum todo!]
Best of the best: Pink Floyd / Beatles
Made in Brasil: Raul Seixas / Legião Urbana
A Rock-Girl: Pitty
A Rocker-Boy: David Gilmour
My first álbum: Legião Urbana
One rock song: Não posso responder essa, não é tão simples assim baby.
5 Rock Legends: The Beatles / Pink Floyd / Led Zeppelin / U2 / The Doors
Who brought rock to my life: Ela mesma, a vida.
An unknown rock-band: Rammstein. [Ouça sem preconceito, sem medo e sem pudor. O show é literalmente um show de pirotecnia e as letras são ótimas quando devidamente traduzidas. Começe por "Amerika" depois ouça "Ich will", "Angel" e "Du Hast".]
Eu fui: O Rappa / Los Hermanos / Capital Inicial / Nação Zumbi / Ira / Paralamas do Sucesso / Biquine Cavadão / Engenheiros do Hawaii / Titãs / Angra / [...]
Envio para: Patrícia, Pequena Poetiza, Pétala, Rach e Tatiana.
...
Ps: Obrigada pelo Meme Dona Faxina!

13.8.09

Intuição

Sempre tive bastante medo da minha intuição pois, quando ela chega, é um sinal de que as águas irão inundar o meu coração.
...

8.8.09

Adeus

"Quando eu vivo esse encontro, eu digo adeus
Refaço os meus planos pra rimar com os seus
Abandono o que é pronto e digo adeus
Eu trago os meus sonhos pra somar aos seus"

[Móveis Coloniais de Acajú - Adeus]


...

4.8.09

A gosto

Os ventos de agosto invadem a casa, movimentam as janelas e espalham as folhas secas pelo chão. Eles trazem bem mais que o frescor de um dia, com o colorido alaranjado de um céu que se despede do sol. Os ventos de agosto também trazem muitos pensamentos e lembranças apagadas pelo tempo. Nem sei muito bem como tenho conseguido ordenar os meus passos, diante de tantas percepções e divagações aparentemente sem fundamento. Quando criança, temia o período que os adultos costumavam chamar de inferno astral e, antes do meu aniversário, eu ficava assim preocupada com os dias que ganharia de presente. Hoje, a mesma angústia reapareceu de maneira suave, tentando esconder o gostinho amargo do medo a cada fotografia que era passada, quando reascendia cada momento doce que foi vivido. Que esses momentos doces venham sempre, que venha a gosto.

...

29.7.09

Numerações

Ocorreu a pouco tempo uma revolta na casa dos decimais e tal acontecimento movimentou os moradores da rua dos números inteiros, gerando manifestações de protestos entre os envolvidos e a vizinhança local.

Os senhores Decimais, alegando não possuir o mesmo reconhecimento e/ou mérito dos seus vizinhos situados à sua esquerda, decidiram exigir seus direitos e, desta forma, aqueles que antes pouco ligavam para os que residiam após a vírgula, aprenderam o significado e o peso que um zero-vírgula-dois possui: a diferença entre o seu nome estar na lista dos classificados ou na dos des-classificados.

...

23.7.09

Infinito Particular

E por mais que eu soubesse usar as palavras certas, por mais que eu tentasse expressar aqui qualquer sentimento, seria difícil compreender como realmente tudo é tão delicado e bonito. As palavras limitam um pouco a dimensão de um sorriso e um brilho no olhar.
[...]
Hoje é um dia bom.
...

13.7.09

Protesto

Sim, são Reis. Mas, chega de Michael Jackson e Roberto Carlos pelos próximos dias, por favor.


...

10.7.09

A Jangada de Pedra

"Quantas vezes, para mudar a vida, precisamos da vida inteira, pensamos tanto, tomamos balanço e hesitamos, depois voltamos ao princípio, tornamos a pensar e a pensar, deslocamo-nos nas calhas do tempo com um movimento circular, como os espojinhos que travessam o campo levantando poeira, folhas secas, insignificâncias, que para mais não lhes chegam as forças [...] Outras vezes, uma palavra é o que basta."


[José Saramago - A Jangada de Pedra, p. 80]


...

7.7.09

Sehnsucht

Em volta, rostos estranhos. Dentro de mim, uma dor inexplicável ao voltar para casa. Lágrimas incontroláveis, uma dor gigantesca e o compromisso com um amor puro que precisava partir. Eu precisava chegar antes que ela morresse. No fundo, eu sentia que ela só iria em paz depois que se despedisse de mim. A minha volta, ninguém sabia o que se passava mas a dor era perceptivel.

[...]

Nossa última conversa, dolorosa para as duas. Ela sentia dores físicas e eu sentia a dor da morte, de ter que me separar de uma criatura, um bebezinho, que só me trouxe carinho e alegria. Não houve tempo, ela partiu antes mesmo que eu pudesse evitar tamanho sofrimento. Partiu enquanto eu acariciava o seu corpinho frágil e branco como neve. Partiu

[...]

Ontem a minha estrelinha foi brilhar no céu.

...

4.7.09

Pela manhã

Tem dias que a gente acorda assim, sem sabor e sem cheiro. Um sonho ruim, quem sabe? Por alguns instantes ficamos perdidos entre a estreita fronteira da imaginação e da realidade. E os fantasmas, aos poucos, se dissolvem quando a luz atravessa aquela janela. Nada como um resgate feito pelo beijo de bom dia.
...

30.6.09

Sobre o amor

"Quem não compreende o silêncio
ainda não está pronto para ser flor." Rita Apoema


Esse e outros textos lindos podem ser encontrados no Jornal das Pequenas Coisas.


...

27.6.09

Fase dos porquês

Seus pequenos passos decididos eram amparados e guiados por mãos mais fortes que as suas. A segurança estava estampada no rosto como um sorriso e tinha o olhar curioso de quem acaba de chegar à fase de perguntar sobre todas as suas dúvidas e suas descobertas. A mãe tinha em seus braços o maior troféu que poderia ter recebido na vida. Um troféu cor de fogo, uma cópia idêntica e colorida daquilo que deveria ter sido em sua infância. Um mar de cores inundava o fim do dia, que até então se mostrava cinza, misturando a beleza do pôr do sol com as mechas longas e cacheadas levadas ao vento.
...

25.6.09

Falta injustificável

Últimamente, fragmentos traduzem o que vejo, sinto e penso. Sinto saudade e muita vontade de poder caminhar com minhas próprias pernas, estar disponível para me dedicar ao que acho que deveria. Mas falta tempo, falta luz, falta dia e inspiração. A minha rotina pode se resumir em sair com o sol e voltar com a lua já alta no céu. Ando cansada. Talvez agora eu não precise contar, mas apenas sentir. Quem sabe eu possa retornar a mim mesma nos próximos dias.
...

23.6.09

Equilíbrio Instável

Chove, não só lá fora mas bem mais aqui, dentro de mim. Chove idéias e medos. Entre raios e palavras, a poça d'água se alimenta de gestos que não foram feitos [...] e eu, que tenho o plano traçado no papel, permaneço estática e consciente disso.
...

18.6.09

Totalmente demais

Gente demais, carros demais, engarrafamento demais, estresse demais, violência demais e outros demais que são por demais desnecessários [...] Mas o amor é bem vindo. Que seja sempre mais.
...

17.6.09

Previsão do Tempo

O céu está azul e cheio de nuvens tão perfeitas que parecem algodão e o sol sorri pro dia, mas a luz não é a mesma, não com a mesma intensidade e calor tão conhecidos. Enquanto caminha, olha pra cima, fecha os olhos para enxergar o sol e conclui baixinho que ‘vai chover’.

A gente tem mania de querer ser de tudo um pouco.

13.6.09

Simpatia para Santo Antônio

O mês de junho chega repleto de cores e festas. Ao som da sanfona, saboreamos as delícias da tradição junina e também nos divertimos bastante ao som das quadrilhas presentes em cada canto da cidade. Também é um período onde muitos buscam um amor e para isso, se apegam ao nosso Santo Casamenteiro, o Antônio.

Várias são as simpatias e, funcionando ou não, a diversão é garantida pelas amigas que se reunem para "azucrinar" a vida do santo. Se der certo, a gente conta o resultado. Enquanto não der, fica em segredo. Se você estiver curiosa para descobrir o nome do seu futuro amor, presta atenção nessa simpatia:

Exatamente à meia-noite do dia 12, véspera de Santo Antônio, coloque água num prato ou bacia e acenda uma vela. Com os pingos da vela, deixe cair na água o número da sua idade e deixe o prato passar a noite no sereno. Na manhã seguinte, jogue a água fora e observe a letra que formou. Essa será a inicial do nome de seu amado(a).
...

9.6.09

O silêncio

Ando gostando desse silêncio. A vontade maior é que tudo permaneça assim, nessa doce e serena paz.
"Já tenho quase tudo que me basta
A flor no pasto, a mesa posta
Minha música e teu calor
Agora só me falta aprender o silêncio."
[Zeca Baleiro: O silêncio]
...

3.6.09

Medo de Avião

E não tem como não associar a hora da nossa partida com a voz do Belchior, quando me lembro do pavor que sinto ao saber que, daqui a poucos meses, estaremos cruzando o oceano para realizar o nosso sonho. E eu sei que você vai segurar a minha mão e vai me acalmar, apesar do seu pânico ser imenso também. Mas você é assim, você com essa sua mania de me proteger vai olhar nos meus olhos e vai dizer que está tudo bem e que, apesar de tudo, estaremos seguros. E vai me contar uma história interessante do pós-guerra, fruto dessa sua pesquisa tão minuciosa, me transportando emocionalmente para os territórios ricos e sangrentos do velho mundo.
"E se a gente tiver que partir, iremos juntos."

(...)


Sinto muito por aqueles que não chegarão aos seus destinos.
...

27.5.09

Carta ao Leitor

Sempre tive um grande respeito pelas diferentes psicopatologias, pela falta de conhecimento e, principalmente, pela ignorância alheia decorrente da incapacidade de interpretar as figuras de linguagem existentes em nossa língua.

Se não assino aqui com o meu nome verdadeiro é porque reconheço que a internet, como todos sabem, é uma zona de litígio e exposição é algo bastante perigoso nos dias de hoje. Eu realmente optei por utilizar um nome estranho e fictício que despertasse o "pré – conceito" de qualquer um, justamente para ver até onde as pessoas são capazes de chegar com os seus julgamentos.

Aparentemente, tudo aqui funciona de maneira livre, mas isso é um engano. Existe um código de ética velado e informal, baseado no bom senso de cada usuário. No que diz respeito aos Blogs e Blogueiros, isso se manifesta de maneira mais clara, pelo menos para mim e para outros que conheci através desse lugar.

Eu acompanho muita gente bem antes de ter esse pequeno espaço. Acredite, se eu visito um espaço e deixo algumas palavras é porque tenho um grande carinho e respeito por quem escreve e pelo que é escrito. Em hipótese alguma eu seria capaz de desrespeitar o autor e a sua obra. Jamais cometeria a infantilidade de levantar polêmica por razões tão ínfimas e ridicularizar a opinião de alguém. Gentileza e delicadeza na comunicação é algo que considero primordial e, sinceramente, uma coisa que eu sempre tive foi tato para as palavras.

Lamento que minhas palavras não tenham sido compreendidas como almejei e reconheço que sempre ocorrerão essas falhas, afinal tudo aqui é propositalmente escrito de maneira subjetiva - já que escrevo sobre os meus sentimentos - e não me proponho a fazer resenhas das grandes obras existentes por ai.

Sim, é um Blog pessoal e as palavras são de minha responsabilidade também. Cada qual se propõe a seguir uma temática ou categoria que lhe convém. Não escrevo aqui com intenções de me equiparar aos grandes, gerar polêmicas ou desrespeitar desconhecidos.

Também não costumo perder tempo procurando citações dos “Grandes Filósofos da Humanidade” no Google, só para ilustrar os meus textos, mas gosto de mostrar alguns fragmentos de livros que realmente estou lendo ou li, e os mesmos são devidamente creditados.

Pelas palavras que escolhemos cotidianamente mostramos um pequeno reflexo da nossa maturidade psicológica e intelectual, mas uma coisa é você e o mundo acadêmico e as suas formalidades, outra coisa é um Blog pessoal e “descomprometido” com qualquer teor científico, teórico e estrutural.

Tenho segurança suficiente para admitir que sou apenas uma iniciante e, como tal, não possuo ainda o conhecimento que me proponho a ter e jamais o atingirei de maneira plena, até porque isso é infinito. Mas estou sempre buscando, estudando, crescendo a cada dia de maneira perceptível na minha vida real. E, sinceramente, não me proponho a cultivar esse modismo de auto-afirmação, dos pseudo-intelectuais de frases feitas em suas declamações nas mesas de bar.


Só eu sei de mim, do que li e do que pretendo ler. O meu encontro com os grandes acontece de maneira silenciosa e solitária e não convém anunciar em folhetins publicados por ai. Maturidade foi algo que adquiri muito cedo, apesar da pouca idade. Veja bem, eu não acredito que uma grande quantidade de anos de vida seja diretamente proporcional a maturidade, não em todos os sentidos. Você e as suas palavras são uma prova disso.

Quanto ao ‘sentir-se abusada”, acredito que você é que precisa conhecer a palavra e os seus significados levando em consideração, principalmente, os regionalismos existentes na língua portuguesa. Mas, quanto à insinuação com relação ao sentido sexual, você também poderia resolver essa sua "pendência" porque esse seu recalque sempre se manifestará de maneira negativa. Acredito que não sou a primeira a constatar isso, você já deve saber.


Respeito não é algo para ser exigido, não de mim. Acontece naturalmente.


...

24.5.09

Desejos

Em dias assim, me permito fugir de obrigações e compromissos. Enquanto arrumo a pequena bagunça que mostra os indícios de uma semana tumultuada, mentalmente repasso o número de coisas que deixei por fazer. Não foram poucas. Sem que a gente perceba, o trabalho suga, atropela os nossos planos e nós deixamos os desejos para depois. Desejo de viver, aprender e crescer mais e mais.
...

22.5.09

Le premier Bonheur du jour

Le premier bonheur du jour
C’est un ruban de soleil
Qui s’enroule sur ta main
Et caresse mon épaule

C’est la souffle de la mer
Et la plage qui attend
C’est l’oiseau qui a chantée
Sur la branche du figuier

La premier chagrin du jour
C’est la porte qui se ferme
La voiture qui s’en va
Le silence qui s'instale

Mais bien vite tu reviens
Et ma vie reprend son cours
Le dernier bonheur du jour
C’est la lampe qui s’éteint

[Le premier Bonheur du jour - Os Mutantes]


...

21.5.09

Balada do Louco

Enquanto as meninas da quarta série queriam ser modelos ou pediatras, respondia com toda convicção que seria uma cientista da NASA. Desde esse dia, as suspeitas de anormalidade foram constatadas e nunca mais sairam de mim.
...

18.5.09

Negras Nuvens

Nós, que sempre gostamos dessa chuva que cai para lavar as nossas angústias e para acalmar as nossas almas, agora ficamos apavorados com as nuvens negras anunciadas pelo céu.


...

15.5.09

Carta para ti #2

Não acreditei quando olhei o seu nome como remetente daquele e-mail. Eram dez horas da manhã e eu nunca esqueci a adrenalina que senti ao ler suas palavras. Uma por uma, li e reli, e quatro horas se passaram até que eu conseguisse responder. Quem demoraria quatro horas para responder tão poucas linhas?

Palavras ali era o que menos interessava. O importante foi o laço que demos em volta das nossas vidas. E o teu sobrenome, que eu acho tão lindo, nunca imaginei que um dia pudesse se tornar meu.

Horários, rotinas, possibilidades. Quantas vezes nos perguntamos se teríamos nos conhecido se não fosse os acontecimentos daquela noite, com tantos encontros e desencontros.

E se eu não tivesse ido àquela festa pelo aniversário da minha melhor amiga? Se você não estivesse na cidade, como na verdade não deveria estar? Se você não tivesse parado de tocar para pegar uma bebida exatamente na hora que eu comecei a cantar a música que você tanto odeia?

"Ele se apaixonou primeiro pela voz dela"

Mas você me ouviu e passou a gostar da música por causa da minha voz, que ecoou nos seus pensamentos por quase um ano até o dia em que nos reencontramos e fomos apresentados. Você finalmente pode olhar dentro dos meus olhos e nós passamos aquela madrugada inteira conversando sobre tudo, enquanto o céu nos presenteava com todas as suas estrelas da madrugada e o sol nos iluminou com seus primeiros raios.

Fiquei feliz quando você disse que gostaria de ser uma pessoa importante para mim. Alguém por quem eu tivesse tanto carinho quanto as pessoas que eu amava. [...] Dias depois recebi o seu e-mail, onde li as palavras mais lindas dessa minha vida inteira.

E os e-mails nos aproximavam cada vez mais, nos diálogos de cada dia, nas entrelinhas dos nossos sentimentos, das nossas dúvidas e angústias corriqueiras. Aquele era o nosso refúgio e em cada palavra que eu lia tentava imaginar a melodia que sua voz gostaria que eu escutasse.

De uma linda amizade, o relacionamento tornou-se o que os outros chamam de namoro. Nunca nos preocupamos com isso. Nunca nos intitulamos. Simplesmente éramos como somos até hoje e somos cada vez mais.

"Ela é a minha companheira"

Foram quase quinhentos e-mails diários. Você perguntava, eu respondia. Eu divagava, você compreendia e assim aprendiamos mais sobre nós. Depois, a vida se encarregou de nos aproximar de uma vez e agora estamos juntos sempre.

Essa história completa hoje cinco anos, mas ainda recebo seus e-mails.
Eles sempre terminam com “te amo”.

...


12.5.09

O sorriso dos olhos

Enquanto a velocidade aumenta, os meus olhos tentam acompanhar as luzes e os fios deformados que saltam dos postes do caminho. É bom sentir o vento bagunçando os cabelos e o toque leve e frio que faz carícia no rosto. A mente viaja e, em vão, tento ordenar meus pensamentos soltos. E quem me vê envolvida nessa nuvem de frieza nem imagina o calor de sentimentos que habita em mim. Em mim e no meu discreto olhar de sorriso infantil.

...


9.5.09

Sim

Lojas lotadas. Uma mistura sem sabor de anúncios coloridos com as luzes das fachadas indiscretas. Uma confusão de rostos, vozes e expressões. Tanto barulho, tanta fila. E na praça de alimentação o jovem pianista trava uma disputa desleal com as risadas e com as piadas da mesa onde acontece o happy hour dos executivos engravatados.

Respeito muito o trabalho daquele rapaz.

[...]

- Vamos embora?
- Antes preciso passar naquela loja do primeiro piso.

E enquanto descíamos pela escada rolante, os últimos acordes ecoavam de uma forma tão profunda que seria impossível não notá-los.

A moça da loja mostrou os anéis. Enquanto observávamos a diversidade de modelos, pediu que eu experimentasse o que ele havia escolhido.

- Muito bonito.

[...]

Corredores lotados e um piano mudo.

- Quer se casar comigo?

E mais uma vez nos casamos, do nosso jeito torto e sincero. No entardecer de uma véspera de natal, no meio de uma praça no centro da cidade; na feira de artesanato mais famosa da cidade; no corredor de um shopping. Sempre com magia, sempre com carinho, sempre uma surpresa, sempre caminhando...
...

8.5.09

Súplica Cearense

Oh! Deus, perdoe este pobre coitado
Que de joelhos rezou um bocado
Pedindo pra chuva cair sem parar
Oh! Deus, será que o senhor se zangou?
E só por isso o sol arretirou
Fazendo cair toda a chuva que há
Senhor, eu pedi para o sol se esconder um tiquinho
Pedi pra chover, mas chover de mansinho
Pra ver se nascia uma planta no chão
Oh! Deus, se eu não rezei direito o Senhor me perdoe,
Eu acho que a culpa foi
Desse pobre que nem sabe fazer oração
Meu Deus, perdoe eu encher os meus olhos de água
E ter-lhe pedido cheinho de mágoa
Pro sol inclemente se arretirar
Desculpe eu pedir a toda hora pra chegar o inverno
Desculpe eu pedir para acabar com o inferno
Que sempre queimou o meu Ceará

[Luís Gonzada /Composição: Gordurinha e Nelinho]

[...]

Agora, chove demais.

...

5.5.09

Nós

Chego a humilde conclusão que devo odiar esses dias desregulados de feriados intermináveis em que nós nos iludimos, vivendo nessa atmosfera incomum, achando que a vida é feita de silêncios e nós. Agora, qualquer dia é dia de quarta - feira de cinzas e em mim não existe a menor vontade de voltar às feiras da realidade.
...

28.4.09

Rei de mim

Acredito que ele é uma criança. Nunca esqueci aquele dia em que ele brincava de fazer castelos na areia. Espero que as ondas não tenham destruído os sonhos dele e que o nosso castelo sobreviva a muitas e muitas luas e ondas do mar.

Apesar de nossa relação não ser a mais perfeita do mundo, me sinto feliz ao ver ele chegar de carro e acionar aquela buzina insuportável, reclamando que alguém deveria abrir o portão para ele entrar. Eu sei que um dia irei sentir muita falta de ouvir as besteiras que ele fala e principalmente das gargalhadas que todos nós aqui em casa soltamos quando ele diz alguma coisa que nem ele mesmo consegue entender.

[...]

Feliz Aniversário Pai.

25.4.09

Pés e Patas

Decidiu que sabia voar e se atirou da varanda, do primeiro andar. Fechou os olhos e por alguns instantes esteve no céu, mas sentiu uma dor estranha e muita saudade. Abriu os olhinhos miúdos e úmidos. Achou que o céu era muito parecido com a casa que morava e que os anjos, que imaginava com asas, não eram nada estranhos..

[...]

"- Aquele passarinho ali falou que era fácil e eu quis voar também..."

[...]

Da experiência bem mal sucedida restou uma patinha quebrada e uma aflição medonha por causa da suposta hemorragia interna. Depois que o susto passou, recebeu com muita manha mil doses de carinho e o cuidado redobrado da família de pés e de patas.

Chegou a conclusão que a cama - almofada quentinha e vermelha é bem melhor que o céu.
ps: A filhote passa bem =)
...

23.4.09

Pedro Páramo

"Ouvia de vez em quando o som das palavras, e notava a diferença. Porque as palavras que havia ouvido até então, e só então fiquei sabendo, não tinham nenhum som, não soavam; mas sem som, como as que se ouve durante os sonhos"

[Fragmentos do Livro Pedro Páramo, do escritor mexicano Juan Rulfo, p. 59]

...

20.4.09

Colcha de Retalhos

A colcha de retalhos fica marcada em cada ponto que o seu corpo toca. O colorido é ofuscado pela cor da pele, dos cabelos e dos olhos que permanecem fechados. Você dorme enquanto vejo a sua respiração e me esforço ao máximo para ouvir cada batimento do seu coração sem que você desperte. É muito bom sentir a vida que há em você e sentir que dentro de nós existe tantas outras vidas, tanto sangue, tanta emoção.

Eu gosto de sentir o seu corpo quando você dorme, quando você se transforma em criança e quando nos transformamos em um.

18.4.09

Tempestades

Os olhos são uma nuvem negra que não deixam transparecer o sorriso ou a dor. O peito dilacerado continua intacto por fora. Algumas ilusões, esperança e nada mais.
...

15.4.09

Fragmentos

"Lá fora, no pátio, os passos, como de gente que ronda. Ruídos calados. E aqui, aquela mulher, de pé no umbral; seu corpo impedindo a chegada do dia; deixando aparecer através de seus braços, fiapos de céu, e debaixo de seus pés réstias de luz; uma luz borrifada como se o chão debaixo dela estivesse inundado de lágrimas. E depois o soluço. E outra vez o pranto suave mas agudo, e a dor fazendo o seu corpo de contorcer.

- Mataram seu pai.
- E quem matou você minha mãe?"


[Fragmentos do Livro Pedro Páramo, do escritor mexicano Juan Rulfo, p. 36]


...

13.4.09

Casa Cheia

A casa cheia. Amigos, filhos, cachorros e netos. Nossa casa alegre e cheia de cores vivas. Um ambiente cercado por risadas, músicas e flores contrastando com o verde capim. Familia reunida para as refeições, buscar as crianças na escola, ensinar os filhos a nadar e a andar de bicicleta.
[...]
Gosto desse companheirismo até nos delírios que temos enquanto sonhamos acordados.


...

9.4.09

Sinal Fechado

As frágeis e pequeninas pernas se esforçavam bastante para sustentar o corpo frágil enquanto os movimentos executados com os malabares eram observados pelos motoristas. A cada sinal fechado, um show era feito em busca de moedas, comida e o mínimo de atenção possível. A sua verdadeira idade jamais poderá ser revelada pelo próprio corpo, que aparenta ter uns cinco anos de idade, no máximo.

Quando o show é finalizado, tem início a corrida em busca da suada remuneração, quando esta existe. Enquanto o sinal não abria, suas pernas percorriam os espaços vagos entre um automóvel e outro quando o seu sorriso iluminou a avenida.

O sinal abriu, ele correu em busca de abrigo levando consigo algo que seu pouco dinheiro não conseguiria comprar. Não era tão grande mas seus olhos derramavam alegria ao ver a embalagem faiscante e o formato impecável. Ele exibia com orgulho o troféu mais cobiçado por todas as crianças desse mundo e que agora era dele.

Nessa páscoa ele não seria uma criança qualquer.
...

7.4.09

Tempo para mim

Encontrei uma fórmula mágica para driblar o engarrafamento, o estress e o mau humor de cada dia. Substituí o barulho frenético do trânsito pelas batidas ritmadas de uma academia. Enquanto a cidade ainda está acordando, eu já estou correndo atrás de uma vida melhor, com mais qualidade e com mais tempo para mim. Depois da minha aula, são apenas alguns quarteirões, sem nenhum trânsito, até o escritório. Chego aqui feliz da vida por estar cuidando mais de mim, muito mais tranquila e disposta.
Eu deveria ter feito isso há mais tempo.
...

3.4.09

Sentimentalidades

Toda essa insistência em busca da compreensão é inválida. Determinados acontecimentos existem para nos ensinar a sentir mais e refletir menos. Você jamais compreenderá o que não sente. E nós sentimos. Sentimos de forma tão intensa que provoca o não sentir dos outros.

...

31.3.09

Doces Verdades #4

Por que cargas d'águas você acha que tem o direito de afogar tudo aquilo que eu sinto em meu peito? Você só vai ter o respeito que quer, na realidade, no dia em que você souber respeitar a minha vontade.

[...]

Pai, já tô indo-me embora. Quero partir sem brigar pois eu já escolhi meu sapato que não vai mais me apertar.


[Raul Seixas: Sapato 36]


...

28.3.09

Largos Passos

A já esperada água, tão fria, enxarcou a minha roupa e a minha alma. A pequena correnteza que inundaria a calçada não impediu que meus pequenos passos largos fossem dados. Eu aceitei todos os riscos e mesmo tendo consciência de todas as possibilidades, arrisquei.
A chuva caiu e os caracóis amadeirados se desfizeram ao se molhar, mas mesmo vendo as nuvens negras do céu, meus pequenos passos foram dados. A rotina se desfez mas os olhos, com suas falsas lágrimas de chuva, estavam cheios de sol.
...

23.3.09

Segundos

Uma segunda de segundos rápidos.
E enquanto o dia se desmancha em horas e pensamentos, a mente trabalha e o coração bate cada vez mais forte [...] É aquela ansiedade boa do que estar por vir.
...

20.3.09

Segundo Sol

E depois de tantas tempestades, finalmente o sol voltou a brilhar.

...

17.3.09

Sem gosto

Não quis acordar e tampouco dormir. Perdeu a noite inteira olhando o mapa do desgosto sentido.

...

14.3.09

Floresta Negra

Sua arma agora é negra. Uma floresta inteira de sabores. Ele não gosta de ver os meus olhos quando estão tão nebulosos. Quando existem nuvens negras, a chuva cai e sempre enxarca a rua e os nossos planos. Logo logo ele vai chegar com as mãos e os olhos repletos de doçura. E assim, com açúcar e com afeto, ele cuida de mim.
...

12.3.09

Viagens

Eu definitivamente não posso deixar que o mundo gire sem mim.

Minha alma clama pela liberdade que só o meu coração pode proporcionar e a minha mente trabalha ininterruptamente os prós e contras de toda e qualquer decisão que eu possa tomar nesse momento. Quando a alma, o coração e a mente resolvem se unir em busca da realização de um sonho não existe outra alternativa a não ser segui-lo em paz. Eles querem, muito mais que antes, cair no mundo de mochila nas costas para ver o que realmente faz sentido nessa vida.

Eu não posso me submeter a viver uma prisão que não é minha, pelo menos por esse momento. Eu não quero me trancafiar em um escritório pelo resto da minha vida, ter dinheiro, casa, carro, emprego estável e somente trinta dias disponíveis para viver tudo que eu preciso... Eu não posso fazer isso comigo. Agora não é momento, não faz sentido.

O mais estranho é a forma como tudo acontece no tempo certo, como se fosse um sinal verde ...
...

9.3.09

Desorient-ação

Às vezes, a bússola que me guia se desgoverna e me desorienta. As horas, os dias, a vida inteira passando por mim sem que eu me perceba.
...

5.3.09

O poeta da roça

Sou fio das mata, cantô da mão grossa,
Trabáio na roça, de inverno e de estio.
A minha chupana é tapada de barro,
Só fumo cigarro de páia de mío.

Sou poeta das brenha, não faço o papé
De argum menestré, ou errante cantô
Que veve vagando, com sua viola,
Cantando, pachola, à percura de amô.

Não tenho sabença, pois nunca estudei,

Apenas eu sei o meu nome assiná.
Meu pai, coitadinho! vivia sem cobre,
E o fio do pobre não pode estudá.

Meu verso rastêro, singelo e sem graça,
Não entra na praça, no rico salão,
Meu verso só entra no campo e na roça
Nas pobre paioça, da serra ao sertão.

Só canto o buliço da vida apertada,
Da lida pesada, das roça e dos eito.
E às vez, recordando a feliz mocidade,
Canto uma sodade que mora em meu peito.

Eu canto o cabôco com suas caçada,
Nas noite assombrada que tudo apavora,
Por dentro da mata, com tanta corage
Topando as visage chamada caipora.

Eu canto o vaquêro vestido de côro,

Brigando com o tôro no mato fechado,
Que pega na ponta do brabo novio,
Ganhando lugio do dono do gado.

Eu canto o mendigo de sujo farrapo,
Coberto de trapo e mochila na mão,
Que chora pedindo o socorro dos home,
E tomba de fome, sem casa e sem pão.

E assim, sem cobiça dos cofre luzente,

Eu vivo contente e feliz com a sorte,
Morando no campo, sem vê a cidade,
Cantando as verdade das coisa do Norte.

[Patativa do Assaré: O poeta da roça]


Patativa do Assaré, com uma linguagem simples e poética, destacou-se como compositor, improvisador e poeta. Nasceu numa família de agricultores pobres, o pai morreu quando tinha oito anos de idade e a partir deste momento começou a trabalhar na roça para ajudar no sustento da família. Perdeu a visão de um olho mas mesmo assim foi estudar numa escola local com doze anos de idade, porém ficou poucos meses nos bancos escolares. Nesta época, começou a escrever seus próprios versos e pequenos textos. Ganhou da mãe uma pequena viola aos dezesseis anos de idade e passou a escrever e cantar repentes e se apresentar em pequenas festas da cidade. Ganhou o apelido de Patativa quando tinha vinte anos de idade, uma alusão ao pássaro de lindo canto. No ano de 1956, escreveu seu primeiro livro de poesias “Inspiração Nordestina” e com muita criatividade, retratou aspectos culturais importantes do homem simples do Nordeste. Após este livro, escreveu outros que também fizeram muito sucesso. Ganhou vários prêmios e títulos por suas obras. Em reconhecimento a seu trabalho, que é admirado internacionalmente, foi agraciado, no Brasil, com o título de doutor "honoris causa" por universidades locais. [Texto Original]

Do céu ele nos presenteia com aquilo que considera o melhor presente que poderia esperar para comemorar o seu aniversário. Parabéns poeta, feliz centenário.
Leia mais aqui
...

3.3.09

Imprevisão

O tempo em mim anda cada vez mais imprevisível.
Enquanto a chuva cai lá fora, me desfaço em sóis e brilho sem fim.


...

28.2.09

Palavras ao Vento

Já faz um tempo que não me mostro assim como sou. Aqueles escritos há muito estão guardados a sete chaves e os outros foram levados pelo tempo, perdidos, apagados, rasgados, inclusive aquele que eu considerava a minha obra prima. Existem palavras que não valem a pena revelar. A cada dia que passa tenho a leve impressão que estou me escondendo de mim.
...

22.2.09

"Foi a saudade que me trouxe pelo braço"

O nordeste é um palco que apresenta as mais diversificadas opções para você aproveitar esse maravilhoso período em que a vida pára para o bloco da alegria passar.

O sol apresenta um convite para curtir o nosso verão eterno, mas, geralmente nesses dias de folia nós costumamos abandonar o litoral repleto de cores e de batuques acelerados para buscar um refúgio no Festival de Jazz & Blues que sempre acontece no friozinho lá da serra. Imaginem um cenário único, com cachoeiras, muito verde e muita música boa de verdade.

Desses tantos carnavais que existem por ai, nunca nenhum deles me encantou mais que o carnaval de Recife. No ano de 2007 resolvemos realizar um dos nossos sonhos, o de subir e descer aquelas ladeiras maravilhosas de Olinda. Também conhecemos todas as cores e a pluralidade sonora que só o Recife Antigo poderia nos mostrar e, sem dúvida, o centenário do frevo nos marcou eternamente.

O nosso amor por tudo aquilo que já admirávamos de longe se tornou cada vez mais sincero e verdadeiro. A manifestação popular, o som único e a alegria de estar ali no meio da folia foi uma experiência única e que eu recomendo para todas as pessoas que conheço. Não pudemos voltar a Recife por conta de um sonho, antigo também, de desbravar o 'velho mundo' e que brevemente será concretizado, mas eu prometo que nos próximos carnavais estaremos cantando juntos tudo aquilo que não deu pra esquecer...

♫ "Olinda, quero cantar a ti esta canção
Teus coqueirais, o teu o sol, o teu mar
Faz brilhar meu coração
De amor, a sonhar
Minha Olinda sem igual
Salve o teu Carnaval"

ps: Juízo e muita paz!!!
...

20.2.09

Fim de Feira

Em poucas horas iremos nos despedir de todas essas 'feiras' exaustivas e intermináveis. Se durante a semana inteira eu te vejo correndo sempre para o lado oposto, contra o tempo e a favor de todos esses seus compromissos, a simples anunciação dessa sexta feira é motivo para que o meu coração fique em paz.
...

16.2.09

Train de Vie

Imagine essa cena:

"Em 1941, um vilarejo na Europa Ocidental recebe o alerta de que os nazistas estão chegando para deportar todos os judeus. Quem dá a notícia é Schlomo, o bobo da aldeia, que é o único capaz de sugerir uma saída: os próprios habitantes irão forjar um trem nazista, interpretando eles mesmos os alemães, os maquinistas e os deportados! Antes da chegada dos verdadeiros nazistas, o trem parte com destino à Terra Prometida. Tudo vai conforme planejado, exceto pelo fato de que as encenações começam a ficar cada vez mais realistas. Os nazistas se tornam mais autoritários; os deportados começam a tramar uma rebelião contra seus falsos algozes, e outros se declaram comunistas, querendo lutar contra os fascistas, os burgueses e os imperialistas. Vencedor de inúmeos prêmios em todo o mundo, O Trem da Vida é um dos melhores filmes dos últimos tempos sobre o Holocausto. Tanto que teria servido de inspiração para Roberto Benigni realizar A Vida É Bela."

Trem da Vida (Train de Vie). 1998. França.
Direção e Roteiro: Radu Mihaileanu.
Com: Lionel Abelanski, Clement Harari, Michel Muller, Agatha de La Fountaine.
Gênero: Comédia, Drama, Romance, Guerra.
Duração: 103 minutos.
...

14.2.09

Doces Verdades #3

Definitivamente, eu prefiro acreditar que você não consegue distinguir as coisas. Não confunda, por favor, a velha boa educação e o bom senso com aquilo que poderia ser facilmente substituído pela 'falta de inteligência'.
Eu sei que esse meu jeito delicado de ser provoca nos outros um querer me fazer de idiota que chega ao cúmulo do inaceitável, mas as coisas não são bem assim. Você já conheceu o veneno que as minhas doces palavras e atitudes possuem quando querem. A minha educação é eterna mas a minha paciência tem um limite bem definido.
Depois não diga que eu não avisei.
...

12.2.09

Confissões

A penumbra iluminava com um brilho especial o seus olhos, mas era o sorriso que deixava o ambiente repleto de luz.

- Teu sorriso é lindo.
As palavras sairam como um pensamento que cria asas e sai do fundo do poço que é a alma. O silêncio era tanto que, sem querer, se viu enrubescida por confessar algo tão óbvio e sincero. Mas, talvez como resposta, os olhos também estavam sorrindo e o todo o conjunto de sorrisos e olhares coloria os segundos mais preciosos que podem existir na vida.
- Que bobagem, você já deve ter escutado isso de tantas outras bocas.
- O sorriso que vem da alma é coisa rara de se ver.
E assim como o cometa que rasga a escuridão do céu, muitas outras respostas foram silenciadas pelos lençóis.

...

10.2.09

Na hora do almoço

"No centro da sala, diante da mesa. No fundo do prato, comida e tristeza. A gente se olha, se toca e se cala e se desentende no instante em que fala.
Cada um guarda mais o seu segredo, sua mão fechada, sua boca aberta, seu peito deserto, sua mão parada, lacrada, selada, molhada de medo.

Pai na cabeceira: É hora do almoço. Minha mãe me chama: É hora do almoço. Minha irmã mais nova, negra cabeleira... Minha avó me chama: É hora do almoço...

E eu inda sou bem moço pra tanta tristeza. Deixemos de coisas, cuidemos da vida, senão chega a morte ou coisa parecida, e nos arrasta moço sem ter visto a vida ou coisa parecida aparecida."

Na hora do almoço: Belchior

...

6.2.09

Veneno

E eu continuo vendo muito pouco sentido nos sorrisos e abraços que destilam veneno pelas costas...


...

4.2.09

Presente

Uma das coisas que me deixa extremamente feliz é ver o quanto eu estou presente no seu dia, nos seus planos e nos seus sonhos. Nos encontramos no momento mais certeiro, quando nossos ideais estão perfeitamente combinados e misturados, transformando os nossos sonhos em um caminho em comum.
Quanta sorte tivemos!
...

31.1.09

Doces Verdades #2


Estranhamente, deixei-me levar pelos caminhos tortuosos da vida e, sem querer, em cada curva, deixei um amigo. Por mais que eu amasse e quisesse cuidar, talvez nunca tenha deixado transparecer o necessário para que as pessoas queridas entendessem que, mesmo longe, estaria mais perto que nunca. Errei. Talvez o meu jeito sincero e displicente de ser não seja o ideal para essa nossa realidade. A vida toma novos rumos, o nosso tempo não é mais o mesmo. As nossas antigas conversas intermináveis hoje não passam de um esforço desconfortável para manter a boa educação. Sempre tive uma ótima memória. Jamais esqueci das nossas tardes, dos bilhetes na hora da aula de litertura portuguesa, das voltas para casa, dos sonhos impossíveis, dos desejos inalcansáveis, das primeiras descobertas, das inúmeras discussões, das lágrimas do pedido de desculpas entre tantos outros momentos. O fato é que jamais precisei do orkut para lembrar das datas especiais mas, em compensação, deixei que esquecessem de mim. Hoje posso reconhecer que uma grande parcela de culpa é minha e sei que estou colhendo exatamente tudo aquilo que plantei.
E são os pequenos detalhes que machucam mais..

...

23.1.09

Das dores

(...)
"- Porra! - gritou Amarante, que começava a colocar a roupa no baú, pensou que ela tinha sido picada por um escorpião.
- Onde está? - perguntou alarmada.
- O quê?
- O animal! - esclareceu Amaranta.
Úrsula pôs o dedo no coração.
- Aqui - disse."

[Cem anos de Solidão: Gabriel García Márquez - p.242]

...

21.1.09

Chuva chovendo

Prefiro a noite ao dia.

E nessa terra que tem verão durante todo o ano, a noite fica muito mais especial quando é banhada pelas gotas da chuva. O dia amanhece limpo, a terra exala o seu cheiro característico e a brisa fresca é um carinho para os nossos corpos. E eu já sei como será difícil acordar, olhar para o lado, abandonar tudo e voltar para o caos da cidade. Mas a noite, voltarei a dançar pela chuva.

...

19.1.09

Olhares

O olhar demonstrava medo, as mãos posicionadas sobre a cabeça revelavam um momento de desespero e emoção. Era jovem ainda, porém já passava da casa dos 30 e possuia poucos fios brancos escondidos entre as mechas de cabelo. A pessoa com a qual conversava ao telefone parecia ter desligado, mas ele continuava esperando..

A cidade não parou para ouvir as suas mágoas. As pessoas ao lado não percebiam o que estava acontecendo ou fingiam não perceber. O sinal, que até então estava fechado, abriu enquanto as lágrimas pousavam sobre o seu rosto. Ele, no entanto, permaneceu no mesmo lugar.

Ninguém sabe o que realmente aconteceu.

...

15.1.09

Carta para ti #1

[...]

Nós mesmos não imaginávamos o desenrolar da nossa história. Tudo aconteceu tão despretenciosamente, com tanta calma, cuidado e carinho... e a amizade que se transformou em amor continua se renovando todos os dias.

Você é a pessoa mais maravilhosa e encantadora desse mundo, que proporciona ao meu dia as alegrias mais sinceras e o sorriso mais verdadeiro. Estaremos sempre juntos, na eternidade de cada momento.
Cada dia 15 é muito mais que especial.
...

13.1.09

Medo

E se, inesperadamente, uma outra pessoa chegar na sua vida?
O que fazer com os sonhos e com os planos?
O que fazer com essa nova vida?


(...)

Por mais que você tente controlar a vida através de horários e planilhas, uma hora ou outra você entende que certas coisas são impossíveis de controlar. A partir de hoje, reserve um horário na agenda especificamente para os imprevistos e entenda o que significa a 'vida' e todos os seus sentidos.

...

11.1.09

O Rato

"Procurar pelo começo é como tentar descobrir a nascente de um rio. Você passa meses sob um sol abrasador remando contra a corrente, entre enormes muralhas verdes de selva úmida, com um mapa todo molhado se desmanchando nas mãos. Você se deixa levar meio amalucado por falsas esperanças, enxames malevolentes de insetos a lhe picar, pelas peças que a memória prega e, ao final, tudo o que consegue - a última Thule de toda essa busca ridícula - é atingir um ponto mais úmido na selva ou, no caso de uma narrativa, algum gesto ou palavra totalmente sem sentido. E no entanto, em algum lugar mais ou menos arbitrário do longo caminho entre o ponto mais úmido e o mar, o cartógrafo espeta a ponta do seu compasso, e é ai que nasce o Amazonas. Acontece a mesma coisa comigo, cartógrafo da alma, quando tento achar o começo da história da minha vida. Fecho os olhos e espeto." p.12

[Firmim: por Sam Savage , editora planeta do Brasil]

(...)

Um livro encantador e emocionante, que permite uma viagem pela literatura universal e pelos diversos sentimentos humanos. Assim como o próprio Firmin, devorei o livro em cinco horas e, ainda na livraria, ele me levou às lágrimas.
Mais informações AQUI
...

9.1.09

Basta

" Quantas vezes, para mudar a vida, precisamos da vida inteira, pensamos tanto, tomamos balanço e hesitamos, depois voltamos ao princípio, tornamos a pensar e a pensar, deslocamo-nos nas calhas do tempo com um movimento circular, como os espojinhos que travessam o campo levantando poeira, folhas secas, insignificâncias, que para mais não lhes chegam as forças, bem melhor seriamos viver em terras de tufões.
Outras vezes, uma palavra é o que basta. "
[A Jangada de Pedra - José Saramago - p. 80]
...

7.1.09

Doces verdades #1

(...)

Não adianta nada começar o ano cheio de sonhos se você não faz nada para que eles se tornem reais.
(...)
'O que eu quero, eu vou conseguir..'
...

5.1.09

Cotidiano

(...)

'Todo dia eu só penso em poder parar
Meio dia eu só penso em dizer não
Depois penso na vida pra levar
E me calo com a boca de feijão'

(...)

[Cotidiano - Chico Buarque]

.::..::..::..::..::..::..::..::..::..::.

E, lentamente, o rítimo frenético do dia volta a bater em mim.

...