31.1.09

Doces Verdades #2


Estranhamente, deixei-me levar pelos caminhos tortuosos da vida e, sem querer, em cada curva, deixei um amigo. Por mais que eu amasse e quisesse cuidar, talvez nunca tenha deixado transparecer o necessário para que as pessoas queridas entendessem que, mesmo longe, estaria mais perto que nunca. Errei. Talvez o meu jeito sincero e displicente de ser não seja o ideal para essa nossa realidade. A vida toma novos rumos, o nosso tempo não é mais o mesmo. As nossas antigas conversas intermináveis hoje não passam de um esforço desconfortável para manter a boa educação. Sempre tive uma ótima memória. Jamais esqueci das nossas tardes, dos bilhetes na hora da aula de litertura portuguesa, das voltas para casa, dos sonhos impossíveis, dos desejos inalcansáveis, das primeiras descobertas, das inúmeras discussões, das lágrimas do pedido de desculpas entre tantos outros momentos. O fato é que jamais precisei do orkut para lembrar das datas especiais mas, em compensação, deixei que esquecessem de mim. Hoje posso reconhecer que uma grande parcela de culpa é minha e sei que estou colhendo exatamente tudo aquilo que plantei.
E são os pequenos detalhes que machucam mais..

...

23.1.09

Das dores

(...)
"- Porra! - gritou Amarante, que começava a colocar a roupa no baú, pensou que ela tinha sido picada por um escorpião.
- Onde está? - perguntou alarmada.
- O quê?
- O animal! - esclareceu Amaranta.
Úrsula pôs o dedo no coração.
- Aqui - disse."

[Cem anos de Solidão: Gabriel García Márquez - p.242]

...

21.1.09

Chuva chovendo

Prefiro a noite ao dia.

E nessa terra que tem verão durante todo o ano, a noite fica muito mais especial quando é banhada pelas gotas da chuva. O dia amanhece limpo, a terra exala o seu cheiro característico e a brisa fresca é um carinho para os nossos corpos. E eu já sei como será difícil acordar, olhar para o lado, abandonar tudo e voltar para o caos da cidade. Mas a noite, voltarei a dançar pela chuva.

...

19.1.09

Olhares

O olhar demonstrava medo, as mãos posicionadas sobre a cabeça revelavam um momento de desespero e emoção. Era jovem ainda, porém já passava da casa dos 30 e possuia poucos fios brancos escondidos entre as mechas de cabelo. A pessoa com a qual conversava ao telefone parecia ter desligado, mas ele continuava esperando..

A cidade não parou para ouvir as suas mágoas. As pessoas ao lado não percebiam o que estava acontecendo ou fingiam não perceber. O sinal, que até então estava fechado, abriu enquanto as lágrimas pousavam sobre o seu rosto. Ele, no entanto, permaneceu no mesmo lugar.

Ninguém sabe o que realmente aconteceu.

...

15.1.09

Carta para ti #1

[...]

Nós mesmos não imaginávamos o desenrolar da nossa história. Tudo aconteceu tão despretenciosamente, com tanta calma, cuidado e carinho... e a amizade que se transformou em amor continua se renovando todos os dias.

Você é a pessoa mais maravilhosa e encantadora desse mundo, que proporciona ao meu dia as alegrias mais sinceras e o sorriso mais verdadeiro. Estaremos sempre juntos, na eternidade de cada momento.
Cada dia 15 é muito mais que especial.
...

13.1.09

Medo

E se, inesperadamente, uma outra pessoa chegar na sua vida?
O que fazer com os sonhos e com os planos?
O que fazer com essa nova vida?


(...)

Por mais que você tente controlar a vida através de horários e planilhas, uma hora ou outra você entende que certas coisas são impossíveis de controlar. A partir de hoje, reserve um horário na agenda especificamente para os imprevistos e entenda o que significa a 'vida' e todos os seus sentidos.

...

11.1.09

O Rato

"Procurar pelo começo é como tentar descobrir a nascente de um rio. Você passa meses sob um sol abrasador remando contra a corrente, entre enormes muralhas verdes de selva úmida, com um mapa todo molhado se desmanchando nas mãos. Você se deixa levar meio amalucado por falsas esperanças, enxames malevolentes de insetos a lhe picar, pelas peças que a memória prega e, ao final, tudo o que consegue - a última Thule de toda essa busca ridícula - é atingir um ponto mais úmido na selva ou, no caso de uma narrativa, algum gesto ou palavra totalmente sem sentido. E no entanto, em algum lugar mais ou menos arbitrário do longo caminho entre o ponto mais úmido e o mar, o cartógrafo espeta a ponta do seu compasso, e é ai que nasce o Amazonas. Acontece a mesma coisa comigo, cartógrafo da alma, quando tento achar o começo da história da minha vida. Fecho os olhos e espeto." p.12

[Firmim: por Sam Savage , editora planeta do Brasil]

(...)

Um livro encantador e emocionante, que permite uma viagem pela literatura universal e pelos diversos sentimentos humanos. Assim como o próprio Firmin, devorei o livro em cinco horas e, ainda na livraria, ele me levou às lágrimas.
Mais informações AQUI
...

9.1.09

Basta

" Quantas vezes, para mudar a vida, precisamos da vida inteira, pensamos tanto, tomamos balanço e hesitamos, depois voltamos ao princípio, tornamos a pensar e a pensar, deslocamo-nos nas calhas do tempo com um movimento circular, como os espojinhos que travessam o campo levantando poeira, folhas secas, insignificâncias, que para mais não lhes chegam as forças, bem melhor seriamos viver em terras de tufões.
Outras vezes, uma palavra é o que basta. "
[A Jangada de Pedra - José Saramago - p. 80]
...

7.1.09

Doces verdades #1

(...)

Não adianta nada começar o ano cheio de sonhos se você não faz nada para que eles se tornem reais.
(...)
'O que eu quero, eu vou conseguir..'
...

5.1.09

Cotidiano

(...)

'Todo dia eu só penso em poder parar
Meio dia eu só penso em dizer não
Depois penso na vida pra levar
E me calo com a boca de feijão'

(...)

[Cotidiano - Chico Buarque]

.::..::..::..::..::..::..::..::..::..::.

E, lentamente, o rítimo frenético do dia volta a bater em mim.

...






2.1.09

Contagem Regressiva!

"Começo de tudo
Não da pra saber
Passado ou futuro
Adoro você

(...)

A vida não pára
Tempo que se tem pra viver
É agora
Hora melhor
Realizar
O futuro"

[Geraldo Azevedo - Adoro Você]

(...)

E iniciamos a nossa contagem regressiva
para a concretização dos planos,
para a realização dos sonhos,
para o destino que
escolhemos
para nós.