31.1.09

Doces Verdades #2


Estranhamente, deixei-me levar pelos caminhos tortuosos da vida e, sem querer, em cada curva, deixei um amigo. Por mais que eu amasse e quisesse cuidar, talvez nunca tenha deixado transparecer o necessário para que as pessoas queridas entendessem que, mesmo longe, estaria mais perto que nunca. Errei. Talvez o meu jeito sincero e displicente de ser não seja o ideal para essa nossa realidade. A vida toma novos rumos, o nosso tempo não é mais o mesmo. As nossas antigas conversas intermináveis hoje não passam de um esforço desconfortável para manter a boa educação. Sempre tive uma ótima memória. Jamais esqueci das nossas tardes, dos bilhetes na hora da aula de litertura portuguesa, das voltas para casa, dos sonhos impossíveis, dos desejos inalcansáveis, das primeiras descobertas, das inúmeras discussões, das lágrimas do pedido de desculpas entre tantos outros momentos. O fato é que jamais precisei do orkut para lembrar das datas especiais mas, em compensação, deixei que esquecessem de mim. Hoje posso reconhecer que uma grande parcela de culpa é minha e sei que estou colhendo exatamente tudo aquilo que plantei.
E são os pequenos detalhes que machucam mais..

...

2 comentários:

  1. Sempre os detalhes que fazem a diferença;

    para melhor,
    para pior.

    Não felizmente.

    ResponderExcluir
  2. É verdade, quantas coisas boas, quantos amigos, ficam pelas curvas da vida. E quando você volta, nem sempre é o mesmo que você lembra ter deixado: a vida une, a vida separa.

    Faz parte.Infelizmente, faz parte.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)