10.2.09

Na hora do almoço

"No centro da sala, diante da mesa. No fundo do prato, comida e tristeza. A gente se olha, se toca e se cala e se desentende no instante em que fala.
Cada um guarda mais o seu segredo, sua mão fechada, sua boca aberta, seu peito deserto, sua mão parada, lacrada, selada, molhada de medo.

Pai na cabeceira: É hora do almoço. Minha mãe me chama: É hora do almoço. Minha irmã mais nova, negra cabeleira... Minha avó me chama: É hora do almoço...

E eu inda sou bem moço pra tanta tristeza. Deixemos de coisas, cuidemos da vida, senão chega a morte ou coisa parecida, e nos arrasta moço sem ter visto a vida ou coisa parecida aparecida."

Na hora do almoço: Belchior

...

6 comentários:

  1. Hum como uma hora do almoço pode ser..profunda..não?
    Pois é...Dona Alanis vem aqui.,.sorte..porque aqui é o fim do Brasil..que horror!
    beijos

    Dani (faxina)

    ResponderExcluir
  2. É verdade, quanto mais nós deixamos de viver para pensar na vida, mas tempo perdemos.
    Mas, convenhamos, pensar na vida as vezes é um tempo perdido bem gasto.
    Abraços.
    obs.:Obrigado pela indicação de Blog Maneiro.

    ResponderExcluir
  3. 'e as pessoas na sala de jantar.. são preocupadas demais em nascer.. e morrer!' sábios mutantes!

    ResponderExcluir
  4. das coisas práticas dessa vida...
    beijo
    .

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)