15.5.09

Carta para ti #2

Não acreditei quando olhei o seu nome como remetente daquele e-mail. Eram dez horas da manhã e eu nunca esqueci a adrenalina que senti ao ler suas palavras. Uma por uma, li e reli, e quatro horas se passaram até que eu conseguisse responder. Quem demoraria quatro horas para responder tão poucas linhas?

Palavras ali era o que menos interessava. O importante foi o laço que demos em volta das nossas vidas. E o teu sobrenome, que eu acho tão lindo, nunca imaginei que um dia pudesse se tornar meu.

Horários, rotinas, possibilidades. Quantas vezes nos perguntamos se teríamos nos conhecido se não fosse os acontecimentos daquela noite, com tantos encontros e desencontros.

E se eu não tivesse ido àquela festa pelo aniversário da minha melhor amiga? Se você não estivesse na cidade, como na verdade não deveria estar? Se você não tivesse parado de tocar para pegar uma bebida exatamente na hora que eu comecei a cantar a música que você tanto odeia?

"Ele se apaixonou primeiro pela voz dela"

Mas você me ouviu e passou a gostar da música por causa da minha voz, que ecoou nos seus pensamentos por quase um ano até o dia em que nos reencontramos e fomos apresentados. Você finalmente pode olhar dentro dos meus olhos e nós passamos aquela madrugada inteira conversando sobre tudo, enquanto o céu nos presenteava com todas as suas estrelas da madrugada e o sol nos iluminou com seus primeiros raios.

Fiquei feliz quando você disse que gostaria de ser uma pessoa importante para mim. Alguém por quem eu tivesse tanto carinho quanto as pessoas que eu amava. [...] Dias depois recebi o seu e-mail, onde li as palavras mais lindas dessa minha vida inteira.

E os e-mails nos aproximavam cada vez mais, nos diálogos de cada dia, nas entrelinhas dos nossos sentimentos, das nossas dúvidas e angústias corriqueiras. Aquele era o nosso refúgio e em cada palavra que eu lia tentava imaginar a melodia que sua voz gostaria que eu escutasse.

De uma linda amizade, o relacionamento tornou-se o que os outros chamam de namoro. Nunca nos preocupamos com isso. Nunca nos intitulamos. Simplesmente éramos como somos até hoje e somos cada vez mais.

"Ela é a minha companheira"

Foram quase quinhentos e-mails diários. Você perguntava, eu respondia. Eu divagava, você compreendia e assim aprendiamos mais sobre nós. Depois, a vida se encarregou de nos aproximar de uma vez e agora estamos juntos sempre.

Essa história completa hoje cinco anos, mas ainda recebo seus e-mails.
Eles sempre terminam com “te amo”.

...


7 comentários:

  1. ai, senti uma invejinha tão boa! lindo texto, lindo relacionamento, lindo tudo!

    ResponderExcluir
  2. Achei linda a história, parabéns por estes anos! Não consegui parar de ler imaginando tudo... bjos

    ResponderExcluir
  3. falta emails na minha caixa de entrada. bonita a tua vida.

    ResponderExcluir
  4. que coisa mais linda esse amor....
    Gostei de ter vindo aqui e conhecido seu blog.
    Muito bom.
    Parabéns !

    Beijo,

    Solange Maia

    Quando puder visite meu “Eucaliptos” :

    http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oiiiiii!!
    Dei uma olhadinha lá, não notei nada de estranho. Será q n é pq estava muito tempo sem atualizar? Qse 2 meses eu acho... Só hj q atualizei.

    Estou adorando os textos do blog. Qualidade excelente!

    Bom domingo!
    beijoss

    ResponderExcluir
  6. ah, pensei q a chuva tivesse dado uma trégua, mas começou a chover agora. Foi muito estrago aqui em Salvador.

    bjs

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)