26.8.09

Felicidades

Não conseguiu dormir. A ansiedade era tanta que a fez contar os segundos enquanto observava o sol nascer. Aos poucos a lua alta desaparecia, anunciando que a grande hora havia chegado. Olhou pro céu, agradeçeu por aquele dia e desejou que ele fosse alegre o bastante e que todas as lágrimas, que porventura podessem cair dos seus olhos, fossem de felicidade. Tinha uma mania estranha de ficar triste nesse dia, avessa às demonstrações desajeitadas de carinho, às ligações sempre distantes, ao 'felicidades' que surgem por conveniência, sem muita verdade.

[...]

Ele havia prometido a si mesmo que naquele dia, eu sempre seria a mulher mais feliz do mundo. Nos outros também, mas aquele era bem mais especial. Sempre fazia coisas inacreditáveis para conquistar o meu sorriso, a minha alegria, e faz isso há cinco anos com bastante perfeição. O dia é amanhã, 27. É meu aniversário.
A mochila está pronta e a estrada nos espera.
Entre tantos presentes, ganhei também a chave do paraíso.
Nada se compara a beleza de Jericoaquara!
=)
...

21.8.09

Canto para a minha morte

Eu sei que determinada rua que eu já passei
não tornará a ouvir o som dos meus passos.
Tem uma revista que eu guardo há muitos anos
e que nunca mais eu vou abrir.
Cada vez que eu me despeço de uma pessoa
pode ser que essa pessoa esteja me vendo pela última vez.
A morte, surda, caminha ao meu lado
e eu não sei em que esquina ela vai me beijar.
Com que rosto ela virá?
Será que ela vai deixar eu acabar o que eu tenho que fazer?
Ou será que ela vai me pegar no meio do copo de uísque?
Na música que eu deixei para compor amanhã?
Será que ela vai esperar eu apagar o cigarro no cinzeiro?
Virá antes de eu encontrar a mulher, a mulher que me foi destinada, e que está em algum lugar me esperando, embora eu ainda não a conheça?

Vou te encontrar vestida de cetim,
pois em qualquer lugar esperas só por mim.
E no teu beijo provar o gosto estranho que eu quero e não desejo,
mas tenho que encontrar.
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, que talvez seja o segredo desta vida.

Qual será a forma da minha morte?
Uma das tantas coisas que eu não escolhi na vida. Existem tantas...
Um acidente de carro.
O coração que se recusa abater no próximo minuto,
a anestesia mal aplicada, a vida mal vivida,
a ferida mal curada, a dor já envelhecida.
O câncer já espalhado e ainda escondido, ou até, quem sabe,
um escorregão idiota, num dia de sol, a cabeça no meio-fio...

Oh morte, tu que és tão forte, que matas o gato, o rato e o homem.
Vista-se com a tua mais bela roupa quando vieres me buscar.
Que meu corpo seja cremado e que minhas cinzas alimentem a erva.
E que a erva alimente outro homem como eu porque eu continuarei neste homem, nos meus filhos, na palavra rude que eu disse para alguém que não gostava e até no uísque que eu não terminei de beber aquela noite...
Raul Seixas: 28.06.1945 - 21.08.1989
...

19.8.09

We´re gonna rock around the clock tonight

Quem enviou: Dani faxina
Top of my chart: A Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10 [O álbum todo!]
Best of the best: Pink Floyd / Beatles
Made in Brasil: Raul Seixas / Legião Urbana
A Rock-Girl: Pitty
A Rocker-Boy: David Gilmour
My first álbum: Legião Urbana
One rock song: Não posso responder essa, não é tão simples assim baby.
5 Rock Legends: The Beatles / Pink Floyd / Led Zeppelin / U2 / The Doors
Who brought rock to my life: Ela mesma, a vida.
An unknown rock-band: Rammstein. [Ouça sem preconceito, sem medo e sem pudor. O show é literalmente um show de pirotecnia e as letras são ótimas quando devidamente traduzidas. Começe por "Amerika" depois ouça "Ich will", "Angel" e "Du Hast".]
Eu fui: O Rappa / Los Hermanos / Capital Inicial / Nação Zumbi / Ira / Paralamas do Sucesso / Biquine Cavadão / Engenheiros do Hawaii / Titãs / Angra / [...]
Envio para: Patrícia, Pequena Poetiza, Pétala, Rach e Tatiana.
...
Ps: Obrigada pelo Meme Dona Faxina!

13.8.09

Intuição

Sempre tive bastante medo da minha intuição pois, quando ela chega, é um sinal de que as águas irão inundar o meu coração.
...

8.8.09

Adeus

"Quando eu vivo esse encontro, eu digo adeus
Refaço os meus planos pra rimar com os seus
Abandono o que é pronto e digo adeus
Eu trago os meus sonhos pra somar aos seus"

[Móveis Coloniais de Acajú - Adeus]


...

4.8.09

A gosto

Os ventos de agosto invadem a casa, movimentam as janelas e espalham as folhas secas pelo chão. Eles trazem bem mais que o frescor de um dia, com o colorido alaranjado de um céu que se despede do sol. Os ventos de agosto também trazem muitos pensamentos e lembranças apagadas pelo tempo. Nem sei muito bem como tenho conseguido ordenar os meus passos, diante de tantas percepções e divagações aparentemente sem fundamento. Quando criança, temia o período que os adultos costumavam chamar de inferno astral e, antes do meu aniversário, eu ficava assim preocupada com os dias que ganharia de presente. Hoje, a mesma angústia reapareceu de maneira suave, tentando esconder o gostinho amargo do medo a cada fotografia que era passada, quando reascendia cada momento doce que foi vivido. Que esses momentos doces venham sempre, que venha a gosto.

...