26.9.09

Werther

"Tudo quanto se acha fora de nós parace mais belo, e todos os homens mais perfeitos que nós. E isto é natural porque sentimos demasiado as nossas imperfeições e os outros sempre parecem possuir precisamente aquilo que nos falta. Em consequência, nós lhe acrescentamos tudo quanto está em nós mesmos e, para coroar a obra, concedemos-lhes também certa facilidade miraculosa que exclui toda idéia de esforço. E êis esse bem aventurado mortal convertido num conjunto de perfeições por nós mesmos criadas.

Ao contrário, quando perseveramos em nossos próprios esforços, apesar da nossa fraqueza e dificuldades, progredimos mais lentamente na porfia onde outros empregam vela e remo... Em suma, a gente sente o que vale quando alcança os outros na reta, ou mesmo os ultrapassa."

[Johann Wolfgang Von Goethe: Werther - Carta de 20 de outubro de 1771 - p.80]
...

17.9.09

Desconexões.

E a vida é assim mesmo. Tem momentos em que você simplesmente se cala, olha em volta e descobre que no fundo é só você e o seu sentimento. E no meio de tantas palavras, só o silêncio pode ser ouvido.


[...]

* Estreando layout novo, presente da queridíssima Faxina. Ficou lindo!!!

**Andressa e Pétala, muito obrigada pelo carinho e pelos selinhos.

...

8.9.09

Leite Derramado


"Eu por mim sonhava com você em todas as cores, mas meus sonhos são que nem cinema mudo, e os atores já morreram há tempos."

[Chico Buarque: Leite Derramado - p.15]
...

1.9.09

Via Láctea

Olhou para o céu e, com muita surpresa, recebeu um lindo presente. Não faz muito tempo, deitava o lençol de conchas no chão para observar as estrelas que se desprendiam do céu. A cada risco de luz, um sorriso e uma certeza iluminavam o seu rosto. Um pedido sincero, a esperança que nunca se distrai e as nuvens pinceladas de algodão avisando que estava na hora de sonhar. Os primeiros desejos foram realizados, todos eles. Ganhou mais um. Não teve dúvidas, fechou os olhos e agradeçeu por tudo que foi dado.
[...]
"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso"! E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...
E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.
Direis agora! "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"
E eu vos direi: "Amai para entendê-las:
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas"
Olavo Bilac
...