1.9.09

Via Láctea

Olhou para o céu e, com muita surpresa, recebeu um lindo presente. Não faz muito tempo, deitava o lençol de conchas no chão para observar as estrelas que se desprendiam do céu. A cada risco de luz, um sorriso e uma certeza iluminavam o seu rosto. Um pedido sincero, a esperança que nunca se distrai e as nuvens pinceladas de algodão avisando que estava na hora de sonhar. Os primeiros desejos foram realizados, todos eles. Ganhou mais um. Não teve dúvidas, fechou os olhos e agradeçeu por tudo que foi dado.
[...]
"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso"! E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto...
E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.
Direis agora! "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"
E eu vos direi: "Amai para entendê-las:
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas"
Olavo Bilac
...

4 comentários:

  1. adorei :)
    é um texto lindo, mesmo lindo

    ResponderExcluir
  2. vez ou outra temos o poder de realizar desejos alheios, e aí que mora a facilidade com que lidarão com os nossos num próximo momento, rsrs, creio...
    Bons Dias

    ResponderExcluir
  3. Romantismo romântico, lindo adorei :*

    ResponderExcluir
  4. adorei mesmo....meu deus..lindo de morrer..

    amiga li o teu blog...quase todinho...irei ca voltar...tens uns textos simples mas dizem tudo..olha quero convidar te a visitares o meu espaço...espero que gostes

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)