30.12.10

Dois mil e onze

Nesse ano eu decidi prometer menos e viver mais. Decidi lutar e suar por aquilo que acredito. Decidi aceitar o desafio que bate a minha porta e acreditar que não é a cor de uma roupa que define o meu destino: é a minha atitude!

Que 2011 seja muito melhor que 2010.


Um grande abraço a todos aqueles que colorem esse espaço e os meus dias.

22.12.10

De lua

Tenho achado esse blog bem chato. Ele não tem cor e não me faz rir. As palavras são sempre repetidas. Até parece que eu sou mesmo assim como ele parece ser, sem alegria. Eu tenho todas as cores em mim e eu sou feliz até a próxima tristeza e o próximo dia sem sol.



20.12.10

Das incertezas

E quando não pensamos no plano B?

14.12.10

Do céu

Há exatamente um ano você nos deixou. Desde aquele dia, eu te vejo cada vez mais na minha vaidade, no sorriso da minha mãe e no azul estampado no céu claro. É bom lembrar de você.

8.12.10

Das cores do mundo

Eu não esqueço aquele dia escuro, de uma fase tempestiva que eu estava atravessando. A vida estava tão cinza e eu estava triste e com medo de tudo dar errado. Durante a tarde você chegou todo animado e tirou da sua bolsa um grande embrulho amarrotado. Eram revistas para colorir, daquelas enormes, e várias caixas com lápis de cor, giz de cera e canetinhas coloridas. E nós passamos um bom tempo deitados no chão colorindo umas figuras enquanto conversávamos e sentiamos o tempo passar. Foi muito divertido. Desde esse dia você me ensinou que a gente pode sim colorir os nossos dias quando eles amanhecem sem cor. Você sempre me ensina coisas lindas.



29.11.10

A harpa e a cristandade

E era sempre a mesma coisa durante os últimos anos. Dia 24 de dezembro nos concentrávamos na cozinha durante todo o dia, preparando e comendo os nossos pratos preferidos, conversando e contando histórias e enfim, aproveitando o dia do natal da maneira que achavamos mais sincera. Na sala tocava a Harpa e a Cristandade e sempre que o silêncio calava as famosas melodias, alguém mudava o lado do disco de vinil e a alegria recomeçava.

Enquanto eu me encarregava de cuidar das sobras das panelas, minha mãe e meu irmão preparavam as tortas e os salgados entre outras tantas delícias da infância. Quando cresci, passei a ajudar também e era muito divertido fazer parte de todo o processo. O natal para mim sempre foi esse momento, quando estávamos juntos e o dia era leve e engraçado. A noite em si era reservada apenas para as visitas e para os telefonemas dos parentes distantes, nada muito animador.

Hoje no shopping, ao ouvir aqueles primeiros acordes, ganhei um passaporte mágico para voltar ao passado. Senti o o cheiro do bolo de chocolate que acabava de sair do forno e ouvi a gargalhada feliz da minha mãe. Dia 24 vai ser diferente, vai ser o 1º natal sem a minha avó, que nos deixou ano passado, e sem a minha mãe, que estará celebrando a data no hemisfério norte, vendo a neve e congelando ao lado do meu irmão.

24.11.10

Em falta

Vou comprar potinhos de bom senso e distribuir no natal.

22.11.10

Agradecimento

O que te leva a seguir um blog?

Um agradecimento especial às 70 pessoas que estão ali ao lado, que optaram por acompanhar as minhas postagens e com as quais eu posso compartilhar, direta ou indiretamente, um pouco de mim.

16.11.10

Dos abismos

Eu só queria sangrar logo toda essa dor que sufoca o meu peito e esvazia os meus pulmões de qualquer força. Mas não, eu sangro assim aos pouquinhos que é pro sofrimento ser maior e pra que eu simplesmente desista de tudo de uma vez.

7.11.10

Sessenta

Enquanto observo as rugas do rosto da minha mãe, que até pouco tempo não trazia consigo tantas marcas visiveis, me pergunto o quanto estarei parecida com ela quando chegar aos meus sessenta anos. Quero que o meu domingo tenha muito barulho, muitos sorrisos, muita fartura e muitos queridos ao meu lado. Que eu tenha um terço do carisma e do carinho dela. Ela é a mulher mais querida que eu conheço.

28.10.10

Imperfeição

É preciso entender que é justamente na deformidade, na dissonância e na realidade que a beleza existe. Não existe um photoshop para manipular a vida, embora muitos tentem camuflar a verdade.

22.10.10

Eu quero mesmo

Eu quero mesmo é cantar yê-yê-yê!
Eu quero mesmo é gostar de você!
Eu quero mesmo é falar de amor!
Eu quero mesmo é sentir seu calor! Eu quero mesmo!

Por muito tempo eu sentia vergonha das coisas que eu sinto
E disfarçando, escrevia difícil só pra complicar
Quando a flor é uma flor e não tem outro jeito da gente dizer,
Pra que mentir, se eu sei, eu sei que...
Eu quero mesmo é cantar yê-yê-yê!

Eu tinha medo de ver a beleza da simplicidade
Nunca falava "eu te amo" com medo de alguém me gozar
Eu gosto de "Besame Mucho" e eu gosto, "eu vou tirar você desse lugar"
Pra que mentir? Quando eu sei que...

Eu quero mesmo é cantar yê-yê-yê!
Eu quero mesmo é gostar de você!
Eu quero mesmo é falar de amor!
Eu quero mesmo é rimar amor com dor!


[Eu quero mesmo - Composição: raul seixas/claudio roberto]

14.10.10

Dos limites

Antes eu achava que desistir era uma atitude covarde, que se deveria tentar até o final, até o último suspiro. Hoje eu compreendi que antes de mais nada é preciso ter muita coragem para tomar essa decisão. Devemos reconhecer e respeitar os nossos limites e os dos outros. A desistência nem sempre é negativa.

29.9.10

Vacances

E tem sido bom ter mais tempo para mim, para o meu sono e para a minha saúde. O meu corpo sentia essa necessidade de parar a rotina e sentir um novo começo. Falo tanto sobre isso, sobre a minha necessidade de mudar e, apesar de todo o planejamento e organização para que tudo acontecesse, o tempo não era bastante. A semana tem sido ótima. Sem horários, sem correria, sem telefone. Lazer às quatro da tarde, encontro com os amigos à noite e madrugada de conversas sem hora para acabar. Esses dias estão sendo meus, unicamente meus e dos meus desejos. Das minhas vontades, do meu sorriso e de você.

15.9.10

Impressões

No preto e branco dos meus dias o teu sorriso é colorido.

10.9.10

Errata

Tenho a impressão de às vezes estar no corpo errado. O dia amanhece errado, na hora errada. O cabelo encaracoladamente errado não combina com os passos que preciso dar. Atravesso as ruas erradas e é um erro ter que voltar. Nas planilhas constam um resultado errado e eu tenho certeza que escolhi a profissão errada. A minha sorte é você ter me escolhido para ser sua. Sorte minha.

3.9.10

S.A.C

Já que o tempo é de mudanças, gostaria de resolver uma pendência desse Blog para com os seus poucos e fiéis leitores. Gostaria de alguma sugestão para dar uma resposta aos comentários que recebo. Não consigo entrar em contato com alguns de vocês, já que alguns não possuem Blog ou e-mail no perfil (no caso dos seguidores)

Como é que eu faço? Gostaria muito de agradecer a visita e, lógico, dialogar um pouco. Qualquer dúvida, sugestão ou reclamação é só falar hein!

1.9.10

Changes

E setembro traz consigo os ventos da mudança e da necessidade de se reinventar. O que eu preciso mesmo é de coragem para romper com previsível e aceitar de forma mais plena os inícios e os finais de ciclo. Eu disse anteriormente que descobri o que não quero ser e tenho refletido bastante sobre as minhas escolhas - as que fiz e as que irei fazer. Tudo muda. Gira o mundo e não para: preciso viver.




27.8.10

25

Hoje sei bem mais o que não quero ser e que os próximos 25 anos me tragam muitas histórias para contar.


Feliz aniversário para mim.

=)

17.8.10

Diálogos

- dizes-me sempre que me acautele, eu vou e venho, mais cuidado não posso ter.
- tem-nos todos, não te esqueças.
- sossega, mulher, que meu dia ainda não chegou.
- não sossego, homem, os dias sempre chegam.


José Saramago - Memorial do Convento, p. 319.

11.8.10

Luz dos Olhos

"O mundo de cada um é os olhos que tem. "

José Saramago - Memorial do Convento, p. 263

4.8.10

Sete Luas & Sete Sóis

Enquanto caminho, relembro os trechos lidos e consigo ver a feição rude e séria de Baltazar, com seus traços fortes, e até mesmo o braço órfão de uma das mãos. Blimunda não me mostra o rosto. Vejo os seus cabelos soltos e o seu corpo vestido com aquilo que possui, mas estando sempre de costas para mim, não consigo ver os seus olhos. Acho que Blimunda também não quer me ver por dentro.


ps: Baltazar Sete Sóis e Blimunda Sete Luas são personagens do livro Memorial do Convento de José Saramago. A leitura ainda não está concluida. São apenas algumas divagações minhas sobre o casal Sete Luas e Sete Sóis. =)

30.7.10

Comprovantes

Enquanto reviro a bolsa procurando as chaves, cai um bilhete no chão. No papel amarelo do comprovante de pagamento do café que você tomou, leio as palavras doces que você um dia me escreveu. Esse papelzinho não sai da minha bolsa.


"Meu amor, não fique triste. É só um dia ruim para toda uma vida linda com amor ao meu lado. Te amo muito!"


Com esse comprovante, os meus dias são sempre bons.

23.7.10

Vinte e Três

Ouvi a sua voz pela primeira vez há sete anos e nem imaginava o que aconteceria alguns meses depois. Entre degraus, palavras e música, sete anos.


Hoje também é nosso aniversário.

14.7.10

Descaminhos

Eu cansei de traçar caminhos, quero apenas caminhar.

4.7.10

Outra era

"Quando a vida me leva pra longe do meu bem
Fico parecendo um trilho onde não passa trem
Olho pro céu o céu é mais além
Miro o espelho e não vejo ninguém
Tambor dentro do peito, coração manera
Pára de chover que já é primavera
A manhã já vem e parece quimera
Mera fantasia de quem só espera
Se eu não morrer eu vou te ver‘manhã depois em outra era
Em Tel Aviv, Bagdá, Brasília
A saudade ilha
E quem dera eu fosse o mar, quem dera
Em Fortaleza, Pequim, Bora-Bora
A tristeza chora
Quem dera eu pudesse te beijar agora"



Outra Era: Ceumar
Composição: Fagner e Zeca Baleiro

17.6.10

Das Utopias

"Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!" Mário Quintana



Um trecho de Quintana no livro
Entre a ciência e a sapiência
, do Rubem Alves.

11.6.10

Vermelho

No sangue, nas unhas e no coração.

1.6.10

Cismei

E não é que eu seja desconfiada, não é bem isso. É só o meu sexto sentido, o meu alerta vermelho feminino, operando em estado máximo de atenção. São só pequenos atos, pequenas intromissões, mas não vou me adiantar. Como diria minha mãe, quando cismo é porque ou foi, ou é, ou será.


27.5.10

Paciência

"Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não pára. A vida não pára não..."


[Paciência: Lenine / Composição: Lenine e Dudu Falcão]

29.4.10

Compartilhando

Por que a tristeza do outro é minha também.

14.4.10

Do castelo

Não é preciso festejar em um castelo e tampouco reunir meia dúzia de assinaturas em uma página de um livro que não é seu. Não é preciso que uma 'autoridade' abençoe ou não algo que já é abençoado por essência. Não é preciso não chorar só para não borrar a maquiagem e sim chorar e rir bastante, todos os dias. Casamento é um estado de espírito.

13.4.10

Mimo

Depois de crescida, deu para ter medo de tudo e de nada.
Não tem medo de desafios mas tem medo de trovão.
Não tem medo de atravessar a rua sozinha
Mas tem medo de soltar a sua mão.

8.4.10

Apresentação

Sempre que encontro um Blog interessante, vou nos arquivos e olho a primeira postagem que foi feita. Geralmente é nela que deixamos a nossa expectativa, o nosso desejo de compartilhar palavras e experiências. Muita gente começa escrevendo para afogar mágoas, outros para divulgar seus escritos entre tantos outros motivos. Adoro ver a evolução dos acontecimentos e das pessoas.

O meu primeiro post fala do início de uma 'Contagem Regressiva' que está continuamente em andamento nesses meses. E com os seus altos e baixos, alegrias e tristezas, vou me alimentando e seguindo em frente. A estrada é longa, mas os primeiros passos já foram dados.

O engraçado foi que, quando criei esse espaço, não quis fazer nenhum tipo de apresentação, nem minha e nem do Blog. Achei que isso deveria ser construido aos poucos e, com o tempo, o Blog teria a sua identidade.

Posso dizer hoje que, pelo menos para mim, ele já tem. Ele é pessoal, mostra um pouco da sensibilidade que possuo e que muitas vezes precisa se camuflar em palavras fortes e atitudes ácidas do outro lado da tela. Pura proteção. Ele também não pretende ser recordista em visitas, comentários ou visualizações; não tem fins literários; não visa lucro e muito menos prejudicar qualquer um que aqui também esteja procurando o seu espaço. Quanto ao nome, que diferença faz ser Maria ou Mariana? As palavras são as mesmas. Os sentimentos também. Mais uma vez, pura proteção.

Gostaria de agradecer a todos que por acaso estiveram aqui e, de certa forma, me dedicaram alguns segundos dos seus dias. Obrigada também aos rostos coloridos que ficam ali do lado e a todos que são bem maiores que o preconceito com relação a um nome ou a não existência dele. Obrigada também pela gentileza e pelo carinho que sempre recebo. Muito obrigada.




ps: Isso não é uma despedida. ;)

28.3.10

Da natureza

"Não adianta chorar a árvore derrubada. Lágrimas não purificam o rio poluído. Dor ou raiva não ressuscita os animais. Não há indignação que nos restitua o ar puro. É preciso ir à raiz do problema." Palavras escritas no primeiro parágrafo do livro O Massacre da Natureza, de Júlio José Chiavenato.

25.3.10

Bichos Escrotos

Chove e a cidade se transforma em um aquário sujo e abandonado em poucos minutos. O lixo toma o espaço dos carros e dos pedestres. Desconforto, revolta e indignação. Imersos na lama, ninguém consegue refletir que a culpa de tanto transtorno não é unicamente das autoridades (in)competendes. A culpa é nossa?

Ignorância

Ninguém aguenta mais ouvir aquele 'discurso chato' sobre lixo, mas de dentro dos automotores as mãos brotam pelas janelas arremeçando qualquer coisa que não seja bem vinda naquele círculo restrito e particular. Se não existe uma lixeira ao lado, melhor jogar 'fora'. E se a embalagem tem aquele código sms para concorrer naquele sorteio? Melhor guardar não é? Já pensou no desespero de ver a sua sorte sendo arremessada pela janela? Que desperdício!

Hipocrisia.

E não adianta reclamar que não aprendeu na escola pois determinadas atitudes são instruídas dentro da nossa própria casa. E nem adianta dizer que é culpa da classe menos favorecida pois no bairro mais nobre da cidade uma lata de refrigerante vazia não pode esperar dentro do carro importado. A sacola do fast food é arremeçada sem dó e, em seguida, encontra um dos bueiros que estavam limpos até há pouco, porque um servidor da limpeza pública havia passado por lá.

Revolta

A cidade vira um caos. Isso acontece no País inteiro, infelizmente. A culpa é SUA, que joga lixo no chão. O ruim da história é que EU e outras centenas de gatos pingados que fazem a sua parte também acabam sofrendo por isso.

18.3.10

Da sorte

Foi sempre com muita desconfiança que participei de sorteios e promoções. Sem muito esperar, saia falando da impossibilidade de ganhar qualquer coisa através desse meio. Conservei essa mania de apostar na sorte com 'um pé atrás' até que hoje me dei conta do quão sortuda eu sou.

Ganhei o prêmio mais cobiçado da promoção da vida: um amor na hora certa, no momento exato que ele deveria acontecer, nem antes e nem depois. Um amor.


12.3.10

Medo

É tanta insegurança, tanta violência solta nesse mundo, que o sentimento que prevalece é o medo. Enquanto os monstros destroem vidas e amores, e seguem em liberdade para interferir em nossos caminhos, o (in)feliz futuro se desmancha em lágrimas e saudade. Até quando?

5.3.10

Meu amor, meu bem

"Meu amor ele é demais
Nunca de menos
Ele não precisa
De camisa-de-vênus
Ouça o que eu vou dizer
Meu bem me ouça
O que ele precisa
É de uma camisa-de-força"

Zeca Baleiro - Meu amor, meu bem, me ame.

25.2.10

Na veia

"Aquele cheiro, som, imagem do teu corpo incendeia
E um rio carregado de saudade vem correr na minha veia
Na veia, amor, na veia
É como a luz da lua que atravessa a parede da cadeia
Clareia mais forte que o sol"

Cordel do Fogo Encantado - Composição: Lirinha

11.2.10

Microconto

A bomba explode em suas mãos. Não houve tempo suficiente entre o pensar e agir. Morreu com a dúvida, foi enterrado sem o porquê.

3.2.10

Dos conflitos

Pensando bem, até que esse choque que acontece de vez em quando é bom. É quando eu páro e reflito, e sigo aflita por ter soltado a sua mão. Depois tem o cair em si, o olhar em volta sem nenhuma sombra de você. É triste demais, impossível seguir assim. E todos os clichês do mundo fazem todo o sentido, e a nuvem de lágrimas teima em não passar.

Então, você, com esse seu jeito sério e responsável de resolver qualquer problema, ressurge ao meu lado e eu fico muda, sem forças para justificar todas as bobagens que eu sempre acabo falando. Eu nunca fui muito racional nos nossos momentos de desentendimento, é verdade. Eu desaprendi a ouvir e aprendi a jogar tudo para fora, sem filtrar, e falo besteiras tentando explicar o inexplicável, evitando assim que o meu coração exploda de uma vez.

E você é a única pessoa capaz de me levar ao mundo dos sonhos e de me arrastar de vez para a realidade, quando é preciso. Nós fomos sábios ao adotar o "a gente conversa, a gente se entende" como lema. E eu nunca imaginei que fosse tão bom poder conversar com alguém, assim sem medo e sem pudor, como a gente sempre faz.

A verdade é que a cada desentendimento eu compreendo que o meu amor por você só cresce e se modifica em caminhos tortuosos, cada vez mais difíceis de explicar.
Pensando bem, até que esse choque que acontece de vez em quando é bom. É sinal de sangue, euforia e paixão.


25.1.10

Twitter

Esse blog merece muito mais que 140 caracteres mas, quem o escreve se contenta em imaginar todas as palavras e guardar dentro do peito. Uma 'Direct Message' pro coração.


...





ps: Estou devendo milhões de visitas, eu sei. Apareço já já ;)

14.1.10

Dos frutos bons

E, de repente, a gente percebe que determinadas quedas do passado - as mesmas que um dia foram tão temidas, inevitáveis e posteriormente sofridas - foram sim muito importantes para esse presente e por todo o futuro que ainda nem chegou. Colher os frutos bons é bom demais.


E agora que o ano começou.


...

7.1.10

Coragem

Que todos nós tenhamos força e coragem suficientes para lutar pelos nossos sonhos. Todos eles.
...
ps: Obrigada pelo carinho!