30.12.10

Dois mil e onze

Nesse ano eu decidi prometer menos e viver mais. Decidi lutar e suar por aquilo que acredito. Decidi aceitar o desafio que bate a minha porta e acreditar que não é a cor de uma roupa que define o meu destino: é a minha atitude!

Que 2011 seja muito melhor que 2010.


Um grande abraço a todos aqueles que colorem esse espaço e os meus dias.

22.12.10

De lua

Tenho achado esse blog bem chato. Ele não tem cor e não me faz rir. As palavras são sempre repetidas. Até parece que eu sou mesmo assim como ele parece ser, sem alegria. Eu tenho todas as cores em mim e eu sou feliz até a próxima tristeza e o próximo dia sem sol.



20.12.10

Das incertezas

E quando não pensamos no plano B?

14.12.10

Do céu

Há exatamente um ano você nos deixou. Desde aquele dia, eu te vejo cada vez mais na minha vaidade, no sorriso da minha mãe e no azul estampado no céu claro. É bom lembrar de você.

8.12.10

Das cores do mundo

Eu não esqueço aquele dia escuro, de uma fase tempestiva que eu estava atravessando. A vida estava tão cinza e eu estava triste e com medo de tudo dar errado. Durante a tarde você chegou todo animado e tirou da sua bolsa um grande embrulho amarrotado. Eram revistas para colorir, daquelas enormes, e várias caixas com lápis de cor, giz de cera e canetinhas coloridas. E nós passamos um bom tempo deitados no chão colorindo umas figuras enquanto conversávamos e sentiamos o tempo passar. Foi muito divertido. Desde esse dia você me ensinou que a gente pode sim colorir os nossos dias quando eles amanhecem sem cor. Você sempre me ensina coisas lindas.