28.9.11

Chronos


O tempo, eu e o nosso eterno desentendimento particular. Quando finalmente nos encontramos, não sabemos o que fazer um com o outro. Até sabemos, já que planejamos esse momento durante tantos dias. Então eu olho para o branco cronograma desatualizado e para o azul do céu e não consigo sair do lugar.

8 comentários:

  1. É assim comigo, quando me encontro com o tempo e comigo mesma, não sai nada. O jeito é deixar acontecer naturalmente. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Acho que isso é uma das particularidades do ser humano desejamos muito uma coisa, por muito tempo, e quando conseguimos, muitas vezes não sabemos o que fazer com ela! A arte de complicar as coisas, me é companheira, sabe? Quanto parece que estou aprendendo, vem "uma ventania" e derruba tudo...
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Voltei, depois de uma longa ausência e o teu blog foi o meu primeiro pensamento. E eis que dou com as palavras perfeitas sobre o desentendimento com o tempo, o mesmo que eu também sinto.
    E pergunto, como consegui eu ficar longe das tuas palavras?
    um beijo*

    ResponderExcluir
  4. Você me descreveu hoje. Também em outros tantos dias, mas mais ainda hoje. Sem mais.

    ResponderExcluir
  5. Vai ver é assim mesmo. O tempo livre é para se fazer nada além de observar o céu...


    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Por vezes quando estamos frente a frente acabamos ficando paralisados. Mesmo depois de muito esperar..

    ResponderExcluir
  7. Quando tenho muito o que fazer, fico estática.

    A falta de tempo me comprime, me esmaga, é uma sensação terrível.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  8. Fernanda.
    Eu acho é que eu reclamo demais. Reclamo quando não tenho tempo e depois reclamo por que o tenho. Quem entende? =P
    Um beijo!
    ___

    Vanessa
    Concordo com você Vanessa, estamos no mesmo barco.
    Um beijo!
    ___

    Carolda
    Engraçada essa coisa de se ver na palavra dos outros. Também me vejo muito nos seus escritos. Um beijo!
    ___

    Anna Flávia
    Então por isso eu queria que todos tivessem mais tempo livre. Um beijo!
    ___

    Dayane Carmona Poeta
    E essa paralisia assusta um pouco, mas logo passa. Um beijo!
    ___

    Luna Sanchez
    Percebi que, nesse caso, prefiro o meio termo. Nem de mais, nem de menos. Gosto do suficiente. Um beijo!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)