15.9.11

Das armas

Eu me protejo de você com as minhas armas: as minhas mãos, a minha mente e o meu silêncio. E é verdade, eu me distancio de tudo aquilo que me faz mal. Isso inclui você.


Update: Texto fruto de uma irritação imaginária. Ficção pura e desnecessária! =P

9 comentários:

  1. E á assim que tem que ser mesmo, né?
    Pena que nem sempre conseguimos, já que as razões do amor, muitas vezes desconhecemos.
    Gosto muito daqui.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. é difícil quando amar dói. o amor tem sempre tanta força - e isso vale para o bem ou para o mal.

    bjos!

    ResponderExcluir
  3. Já dizia Incubus -> Love Hurts.
    Mas, é ótima ter essa capacidade de se distanciar daquilo que já não faz bem. É preciso muita força, muita garra.

    ResponderExcluir
  4. Já dizia Incubus -> Love Hurts.
    Mas, é ótima ter essa capacidade de se distanciar daquilo que já não faz bem. É preciso muita força, muita garra.

    ResponderExcluir
  5. Acho que a melhor arma é sempre o silêncio. Mas se a angustia bater, aí é melhor falar, e colocar tudo pra fora - inclusive ele.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. É assim que DEVE ser não é... pois talvez, se não fosse essas nossas armas, esse amor nos envolve de uma forma em que não fará mal apenas para nós mesmas, mas também pra quem a gente não quer que se envolva a isso (e nem saiba).

    ResponderExcluir
  7. Eu desconfiava da força do silêncio quando usado como arma por mim e tive a certeza do quanto pode ser brutal quando fui a vítima.

    Morri um pouco naquelas lacunas mudas.

    Beijo grande.

    Gosto de te receber lá no blog.

    ;)

    ResponderExcluir
  8. Flá, concordo com você. É difícil e machuca um pouquinho, mas infelizmente amadurecer é um processo bastante dolorido. E dói ver as pessoas que você ama fazer escolhas erradas. Um beijo!
    --
    É Carol, nem sei se tenho essa força toda. O tempo também é importante. Ele vai resolver alguns enigmas que no momento ainda não consigo compreender. E se amanhã eu descobrir que estou errada, tudo mudará. Um beijo!
    --
    Essa foi boa Rita! =D
    Na verdade eu sou muito amiga da conversa. Acho que as coisas devem ser ditas, esclarecidas. Os pontos de vista devem ser colocados na mesa e, juntos, temos que reconhecer o erro e o acerto um do outro. Tem que existir compreensão, quem que se colocar no lugar do outro. Tem sido assim nesses sete anos e tem dado muito certo. Tive a sorte de encontrar alguém que goste de conversar também. O problema são os outros e as suas escolhas. Eu não posso modificar ninguém e muito menos exigir que se modifiquem por mim. É por isso que eu me afasto, porque não concordo que me controlem ou que exijam uma modificação da minha essência para que possam me aceitar. Nesse caso, eu me calo e me afasto porque sinceramente eu não preciso de aceitação de ninguém que acha que eu seria melhor sendo diferente do que sou.
    Um beijo Rita, sempre me sinto honrada por ter suas palavras aqui!
    --
    É Vanessa, nem sempre a gente consegue. Às vezes eu escrevo coisas pra que eu possa sentir a força que as palavras têm. E o amor, o sentimento todo, é tão grandioso que realmente não somos capazes de entender. Fico sempre feliz com as suas palavras e hoje mais ainda por saber que você gosta daqui.
    Um beijo!
    --
    É Fernanda, o pior é que às vezes você também é envolvido por consequência em algumas relações e, sem querer, acaba se machucando com as atitudes e as palavras desses outros amores. É uma cadeia tão complexa! Envolve família, amigos, colegas de trabalho e é tanta gente que é quase impossível não sair alguém machucado. E por mais que você tente acertar, para alguém você estará errado.
    Um beijo!
    --
    Luna, eu concordo demais com você. Já machuquei e sofri muito com o silêncio, mas quando as palavras já não trazem mais nenhuma solução, acredito que o melhor é calar e seguir o seu caminho sem ter que levar mais dor desnecessária nas malas. Relacionamentos são tão difíceis e pedem tanta cautela, ainda mais quando você não escolhe tê-los e não tem outra opção a não ser carregá-lo como um peso nas costas.
    Gosto demais do seu Blog. Agora que resolveram liberar a nossa conexão (quinze longos dias incomunicáveis) vou poder visitar todos os meus blogs queridos com mais frequência. Um beijo!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)