24.11.11

Eu


Não gosto de algumas interpretações equivocadas sobre alguns textos e muito menos sobre algumas pessoas. Encontrar falhas textuais e humanas é fácil, ainda mais quando se está sob um pedestal iluminado e estranhamente imune a esses erros. Tenho preguiça daqueles que se utilizam das ideias dos grandes e tomam como base um conceito equivocado na desenfreada busca de credibilidade para o seu frágil discurso. Um discurso velado de culpas e desculpas esfarrapadas para encobrir o próprio erro simples e grotesco de falta de visão.



Também detesto classificações. Acho restritivo demais, agressivo demais e muito pouco inteligente. Triste daquele que se sente feliz em se enquadrar em uma sigla, em um grupo, em uma modinha. O ser complexo humano é tão habilidoso quanto um bom ator, que sustenta as tantas máscaras usadas no seu teatro. Por isso, antes de querer enxergar os outros e seus defeitos através de rótulos e tarjas pretas, procure curar o seu desespero. Antes de ditar sobre a melhor forma de vida, procure fazer com que a sua seja um pouco mais verdadeira de verdade, e menos aparentemente ideal.



--

ps: Esse texto não é nenhuma indireta, fiquem calmos. Li e assisti algumas coisas que reviraram o meu estômago nos últimos dias. Esse texto é apenas o fruto de uma reflexão minha sobre algumas coisas com as quais não concordo. Simples assim. :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)