9.11.11

Batalha Perdida

O meu problema é enxergar apenas o lobo, e não a suposta casca doce e macia de cordeiro. Então todos questionam o porquê de não existir uma segunda, terceira e tantas outras infinitas chances. A resposta é tão óbvia e simples que eu ainda me assusto ao ter que explicar algumas das minhas escolhas.

Eu não consigo ir contra meus sentimentos a ponto de me jogar de uma ponte sabendo que eu não sei nadar. Não existem salva vidas. Existe apenas você e o monstro que não permite que o oxigênio chegue às suas vias respiratórias. E desse embate, inevitavelmente, você sairia com a alma e o coração ferido. Todos os guerreiros foram vencidos e não há uma viva alma para provar o contrário. Todos eles caminham por aí arrastando os sonhos nas correntes de uma intenção fracassada. Agora eu pergunto se você pularia. Você lutaria sem respirar mesmo sabendo que seria em vão?

Eu tenho limitações e tento vencê-las a cada dia. Eu tento sim ser uma pessoa melhor, mas eu sei também até onde posso ir e, sinceramente, eu não posso e não quero atravessar a fronteira outra vez. Conhecendo o que conheço e sabendo ainda que não vi nem trinta e cinco por cento do risco total de perigo, eu preciso mesmo tentar outra vez? Preciso mesmo arriscar a minha vida e a minha alma por uma missão fracassada? Eu assisto idas e vindas, chances e desesperos praticamente todos os dias e sinceramente, optei por não participar disso tudo simplesmente por ser um direito meu não me envolver em certas questões que nem a mim pertencem.

Não queiram enxergar ilusões debaixo de uma névoa inebriante de falsas intenções. Não queiram viver de mentira e, por favor, não insistam com esses discursos vencidos, maculados de experiências fracassadas e esperançosas de uma verdade que nunca será. Eu simplesmente só não consigo lutar por aquilo que eu não acredito. Não adianta. Eu não consigo me sentir culpada por isso. Se eu só enxergo o lobo foi porque assim ele se mostrou para mim.

5 comentários:

  1. Eu tenho vivido ultimamente com um lobo e ele tem se mostrado tão dócil, que não busco nenhum cordeiro. Não por enquanto ;)

    ResponderExcluir
  2. Viver é calcular riscos, se calculou e não dá para se jogar, faz bem e nem tentar.

    ResponderExcluir
  3. Quanta sobriedade e lucidez. Adorei, mulher!

    Quero ser que nem tu quando eu crescer porque tá difícil lidar, viu?

    =\

    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  4. Que dom maravilhoso para juntar palavras. parabens pelo blog

    ResponderExcluir
  5. o blog tá lindo!
    tudo o que você escreve é de uma delicadeza sem fim. tanta beleza e tanta verdade...

    um beijo!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)