29.12.11

Surpreendente

Esse seria o adjetivo mais adequado que eu poderia usar para descrever o ano de 2011, no qual eu precisei me desprender de todas as minhas certezas. E não foi fácil. Eu me surpreendi tantas vezes, vi tantas coisas lindas, pude realizar um dos grandes sonhos da minha vida, e como foi incrível realizar isso ao seu lado. E nem preciso escrever o quanto o meu sorriso se transforma, e fica maior que eu e você juntos quando eu me lembro desses nossos dias bons.

Mas eu também vi coisas tristes e chorei como se não houvesse outra saída, como se o final da linha tivesse chegado e eu não tivesse outra opção a não ser pular do trem desgovernado. Então veio você de novo, e nós dois juntos fomos o maior apoio que poderíamos encontrar. E nós descobrimos o quanto somos frágeis e fortes, e também encontramos uma força maior, que nos trouxe essa serenidade para aceitar que os bons e os terríveis maus momentos foram um grande e valioso aprendizado.

Que 2012 me surpreenda ainda mais e nos permita voar para mais longe. E que eu possa ter muitas histórias para contar, esse sempre foi o meu maior desejo. Viver e ter história para contar.

-- 
ps: A propósito, vocês também foram a melhor parte. Os comentários carinhosos e as conversinhas bobas no twitter fizeram parte da minha vida por aqui e isso foi muito bom. Um abraço a cada uma de vocês que apareceu desse jeito maluco na minha vida. :)

23.12.11

Wishes

A casa silenciosa queria mesmo era estar cheia de sorrisos. A gente deseja poder ter um dia aquele natal clichê, com nossos pais e pouquíssimos amigos reunidos, conversando à mesa. Um dia também teremos os nossos filhos e os filhos dos nossos irmãos. Com certeza nós vamos ter também uma árvore regional, de galhos secos, e enfeites de palha de carnaúba. E os cachorros ali, correndo e latindo pela casa. Vai ser uma noite bonita de verão.

O natal será apenas mais um dia do ano em que nós conseguiremos reunir as pessoas queridas. E apesar da nossa tristeza inexplicável nesse período de festas, que existe muito antes de estarmos juntos e que vem desde os nossos dias de criança, vamos ficar muito felizes por poder estar perto de quem a gente ama.

Esse é o nosso primeiro natal longe de casa e a saudade, que nunca nos deixou de lado, resolveu ficar cada vez mais forte nos últimos dias. Então a gente tá feliz e triste. Tudo que a gente tem cabe em nossas mãos. Mas nós não precisamos de nada porque o mundo é a nossa casa, o céu é a nossa camisa e as estrelas vestem os nossos pés.*


--
O período destacado é uma adaptação da letra de Feliz e Triste que você escuta nesse link
Que vocês aproveitem essa noite para ficar perto de quem realmente importa. Esse é o melhor presente que existe! 
Feliz Natal! =)

21.12.11

Branco

Essa folha em branco diz muito mais do que eu precisaria escrever. Os dias estão passando sem que eu me dê conta de onde os ponteiros do relógio estão. Tem sido assim, acordando e dormindo em um universo paralelo, tantas vezes irreal, que eu me assusto quando o sol ou a lua aparecem no céu. A verdade é que eu perdi o horário de tanto sonhar e eu preciso urgentemente colocar a mão na terra molhada, para poder colher bons frutos outra vez. A única coisa que cai do céu para mim é a chuva e as bênçãos que eu preciso para continuar nessa luta.

14.12.11

Oração

Que eu nunca perca a capacidade de me encantar sempre mais, a cada dia, com tudo que existe a minha volta. Que eu consiga enxergar a beleza de cada detalhe e de cada pôr do sol, com suas incríveis nuances de luz. Que eu me admire com as folhas e as paisagens, os muros e as fachadas, os olhos e cabelos multicolores na multidão. Que meus olhos nunca fiquem opacos, cansados, secos e principalmente insensíveis. Que eu não esqueça que o pior cego é aquele que prefere não enxergar.

10.12.11

Redemoinhos

É sempre a mesma coisa quando algo assim acontece. Eu ando de um lado pro outro, com os olhos no chão, tentando entender porque raios aquelas palavras saíram da minha boca. Porque eu não fiquei calada? Por dois segundos, o dia teria sido diferente. Por duas palavras ele foi uma tempestade. Mas é tudo coisa minha, redemoinhos de vento soprando nos ouvidos enquanto eu procuro um lugar seguro para me acolher. Só você tem a chave e o dom de abrir a porta na hora certa.

8.12.11

Listas


Fiz algumas listas e durante o ano elas mudaram um pouco de teor de acordo com as situações que encontrei. No início do ano elas estavam cheias de ansiedade e recheadas de burocracias, as mais variadas e possíveis. E foi uma corrida contra o tempo, uma relação de ódio com feriados, dias úteis e prazos extrapolados. A cada item riscado, um suspiro aliviado.

Minha lista de preparativos para a viagem já se perdeu por aí e de vez em quando eu ainda me assusto quando lembro que deu tudo certo. Então vieram outras listas, com itinerários e horários de trens e estações. Lista de livros que carregávamos na mala e de prazos para as aulas e as provas. Não posso esquecer a lista com os telefones de possíveis novos endereços que precisávamos encontrar. E as muitas e muitas listinhas de supermercado a cada final de tarde. Também cresceu a lista de corações bons, que nos protegeram e ajudaram bastante por aqui.

A lista que mais se modificou e se adequou durante esse tempo foi a das necessidades. Quando você precisa colocar a sua vida inteira dentro de uma mala e de uma mochila, você definitivamente aprende a entender o significado dessa palavrinha tão mal usada por aí. Jamais esqueçam que todas aquelas coisas inúteis que você compra e encontra pelo caminho vão ser carregadas por você e acreditem, elas pesam bastante.

A última lista do ano foi a mais burocrática e decisiva para os próximos passos. Dependia dela o fato de no ano que vem eu ter um mundo inteiro cheio de portas abertas para explorar. De dez itens só resta um, que será riscado na próxima semana. Olhei os papéis coloridos sobre a mesa e já começei a pensar nas novas listas que irei fazer.

3.12.11

Dezembro

Em janeiro eu escrevi que o ano seria de muitas mudanças. Naquele dia eu ainda não tinha a mínima ideia do que encontraria pela frente. E foram tantas coisas, felizes e tristes, que eu jamais imaginaria que pudessem acontecer comigo e elas simplesmente aconteceram. Hoje eu percebi que envelheci alguns anos nos últimos meses e eu tento tanto a dizer, tanto, que não existiria aqui o espaço suficiente. 

Sinceramente, talvez eu nem precisasse de tanto espaço. Talvez eu nem precisasse perder o meu tempo procurando as palavras certas para me fazer entendida. Eu já deveria saber mesmo é que as pessoas não estão interessadas no que eu tenho a dizer. Nunca estão. Existem prioridades. Ponto final.

Eu faço e refaço todas as orações e concluo que o que eu tenho a dizer não deve ser mesmo nada importante para ninguém além de mim. Ninguém entenderia de qualquer forma. Então eu sigo em frente. Eu sempre aprendi e continuo aprendendo muito com esse meu silêncio. Dezembro chegou me pedindo para ter calma e um pouco mais de paciência comigo mesma, e principalmente a mesma coragem de antes.

1.12.11

Doces Verdades #6

Leia um livro, uma crônica, um poema, uma coisa rápida. Leia. Leia de verdade, para agregar ideias e sonhos. É um favor que fazemos a nós mesmos. O mundo seria muito mais interessante se as pessoas parassem de divulgar frases feitas e passassem a ler mais, efetivamente. Faça a sua parte, leia e saiba conversar sobre o livro inteiro e não apenas sobre aquele trechinho tão batido da internet. A rede é livre e você pode escolher ser diferente. Seja grande. Seja um leitor de verdade.

ps: Os complexados que me desculpem mas isso não é indireta pra ninguém. É apenas minha opinião sobre o que tenho visto nessas redes sociais da vida: muita frase de efeito e pouco conteúdo. ; )