10.4.12

Ao meu Rovisky

Só eu conheço todas as verdades sobre cada figura de linguagem, cada detalhe escondido nessas crônicas dos seus dias. Ser sua primeira leitora, os primeiros olhos a quem você confia tanta intimidade, é uma das regalias que eu gosto de ter. Um dia talvez eu explique aos seus leitores todas essas suas metáforas, signos e imagens. Ou talvez seja esse o nosso último segredo, que será para sempre interpretado erroneamente pelos insaciáveis sábios críticos que existem aos montes por aí. 

3 comentários:

  1. insaciáveis sábios críticos de merdas que vivem por aí.

    sempre é uma belezura vir no teu blog. linda a tua forma de escrever. :)

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto.

    Tem uma coisa que queria compartilhar ctg. Lembra aquele teu post sobre "escolhas"? Então, lendo um livro (Comprometida, Elizabeth Gilbert), lembrei de vc qdo ela fala assim:

    "O problema, falando simplesmente, é que não podemos escolher tudo ao mesmo tempo. Assim, corremos o risco de ficar paralisados pela indecisão, com um pavor terrível de que cada escolha esteja errada. [...] Num mundo de possibilidades tão abundantes, muitos de nós simplesmente brocham de indecisão. [...] Todas essas escolhas e todo esse anseio podem criar um tipo esquisito de assombração na vida, como se os fantasmas de todas as outras possibilidades não escolhidas ficassem para sempre num mundo de sombras à nossa volta, perguntando sem para: 'Tem certeza de que era isso mesmo que você queria?'"

    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. que meeedooo! eu não dava nem meu nome pra ele (mentira, provavelmente daria porque sou babaca e nunca lembro de mentir nessas horas)! e qual tipo de emprego ele queria te oferecer?

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)