28.4.12

Das cartas engavetadas #2

Meu pai sempre teve medo de me deixar entrar sozinha no mar. Ele dizia que eu era muito afoita, e eu era mesmo. Ainda sou, preciso confessar. No fundo acho que ele sempre teve um pouco de medo. Enquanto ele me vigiava, sentado na areia da praia, talvez esse sentisse que mais cedo ou mais tarde eu atravessaria aquelas águas verdes, aquele céu de mar.


(...)


Parabéns pai.
Dê um mergulho e receba todo o meu carinho pelos braços dos nossos verdes mares.
Amo você desse meu jeito afoito e desengonçado.

4 comentários:

  1. hehehe que bonitinha! parabéns pro seu pai!
    o meu também morria de medo de eu entrar sozinha no mar porque eu era muito distraída e sempre acabava na beira da praia vizinha sem perceber :P
    (nunca mais tinha visto a palavra "afoita", por algum motivo eu li e fiquei um pouquinho nostálgica...)

    ResponderExcluir
  2. Nada como amarmos o nosso pai do jeito que ele é, e aceitar a forma como ele nos ama.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)