31.7.12

Inferno

Abriram as portas do meu inferno astral mesmo sem a minha descrente autorização e agora eu posso ter um responsável para receber toda a culpa por esses dias mais ou menos que ando tendo. Vamos ver se eu chego mesmo aos vinte e sete com a cota mínima de saúde mental para sobreviver aos próximos dias.. Por enquanto tenho aqui as minhas dúvidas.


24.7.12

Da coragem

Não tenho a menor ideia do que irá acontecer conosco, com a nossa vida, com os nossos sonhos e planos do passado. Apesar do inevitável medo natural do novo e do frio na barriga por conta dessa falta temporária de controle da situação, sinceramente, nada disso me preocupa. A gente encontra coragem onde menos espera, num dia bom, num olhar carinhoso e num muito obrigada.

21.7.12

Falta pouco

Uma semana e serei eu novamente.
Uma semana e estarei livre para rodopiar de alegria pela casa.
Uma semana, nenhum dia a mais, e eu poderei dizer que minha alma será livre outra vez..

“Everybody's happy now
The bad thing's gone away
And everybody's happy now
The good thing's here to stay
Please let it stay..”

16.7.12

Felicidade Clandestina

Eu enxergo um vazio imenso, uma falta absurda de veracidade em gargalhadas nervosas de clandestina felicidade. 

14.7.12

Estorvo

Vi a sua chave sobre a mesa e, por um momento, tive a sensação de que você não iria voltar. Peguei a primeira roupa que vi pela frente e saí correndo. Saí com os cabelos soltos e completamente bagunçados; com os pés descalços, apesar do frio e das poças d’água que encontraria pelo caminho; com o casaco errado, que nada me protegeria da chuva. Saí de cara limpa. Encontrei você no meio da avenida, atravessando entre os carros e caminhando apressadamente em direção a mim com uma expressão tão triste que, por um momento, me questionei se as gotas da chuva que escorriam no seu rosto não seriam na verdade lágrimas. Você recebeu a chave das minhas mãos com um sorriso, me agradeceu pelo favor, me deu um beijo rápido e pediu que eu voltasse para casa. Voltei e, enquanto caminhava vagarosamente, via o meu reflexo tão feio nas poças de água, via o reflexo de tudo que eu não queria ser: mais um estorvo – extremamente desnecessário – na sua vida. Já não sei, já não sei mais o que fazer.


13.7.12

Reclamo

Reclamo porque sou humana, de carne e osso, e tenho aqui as minhas fraquezas e as minhas dores. A impressão que eu tenho é a de que esse mundo anda todo errado, todo torto, mas já que para tudo deve existir uma razão, sigo caminhando do meu jeito. Não consigo ficar parada, vou me equilibrando na corda bamba, entre desejos, sonhos e a minha realidade.

Mesmo sonhadora, descobri a pouco que tenho uma mente muito limitada. Sei muito pouco sobre maldade, sei muito pouco sobre até onde o ser humano é capaz de machucar para conseguir o que quer e isso me assusta. Eu sei de muito pouco, mas não troco o meu jeito "idiota" de ser, a minha ainda pequena experiência de vida e a minha paz de espírito por nada nesse mundo.

Para mim nada veio fácil e é assim que vai ser até o final dos meus dias. Muito suor, muito trabalho, muito choro, um aperreio danado e talvez algum sucesso. Talvez. Pensando nos últimos dias, descobri que realmente não consigo ver nenhuma vantagem em conseguir coisas por vias mais fáceis, e definitivamente não conseguiria ser feliz sabendo que estou prejudicando a vida de quem eu amo, ou supostamente deveria amar.

Não consigo ver vantagem em muitas outras coisas e isso só me mostrou o quanto eu sou feliz do jeito que eu sou, com minhas paranoias, meus sonhos, meus problemas, minhas poucas virtudes, com a nossa vida simples e as contas nossas de cada dia para pagar. Reclamo e encontro o teu  sorriso, não resisto e sorrio para a minha vida também.



10.7.12

Do cansaço

Ando cansada de andar na linha, de ter sempre tanto cuidado e de tentar fazer tudo sempre direito. O meu cansaço aumenta ainda mais quando percebo que gente mau caráter só se dá bem nessa vida enquanto eu só recebo contas para pagar.



7.7.12

Julho

Julho chegou indeciso: não sabe se brilha ou não sabe se molha.






---
ps: Um beijo para a Flávia, do blog Sempre Algo Mais, pelo convite para responder as perguntas lá no blog dela! =**

5.7.12

Entre fakes e feridos

Entre chateações e um perfil falso de nós dois, o que restou foi o carinho de quem nos conhece de verdade e de quem se mostrou incomodado pela mentira e deturpação da nossa conduta e imagem. Quanto ao autor da brincadeira de mau gosto que tentou nos incomodar, nesse caso nós temos certeza de que não é só a mentira que possui a péssima fama de ter perninhas curtas. 


Se cuida.