22.9.12

I wanna go home

Após semanas sem dormir direito por conta da preocupação e da ansiedade, das frustrações com algumas imobiliárias, da decepção de não ter conseguido alugar o imóvel perfeito, do recomeço da nossa busca com o prazo de apenas uma semana para a mudança e tantos outros aborrecimentos, estamos cansados e não vemos a hora desse pesadelo ter fim.

Quando eu escrevi que a minha vida definitivamente parecia uma eterna gincana, aposto que muita gente pensou que era um exagero ou um drama daqueles bem desnecessários, típico de quem adora ser vítima da situação e que todo mundo conhece aos montes por aí. Olha, depois que tentativa de alugar a nossa casa dependia apenas de vencer uma prova de corrida – isso mesmo, você leu certo – eu quero é ver quem é que vai discordar de mim agora.

As duas visitas que nós havíamos marcado para essa sexta-feira seriam em grupo, ou seja, todos os interessados veriam o imóvel juntos. O primeiro flat era tão ruim que ninguém gostou, ninguém quis seguir em frente com a negociação. A decepção com o lugar nos deixou um pouco abalados e como nós só tínhamos mais uma opção, já estávamos começando a considerar a pôr o plano de emergência em prática.

Saímos completamente sem esperança para a próxima visita, caminhando na chuva fria, num cenário típico daqueles dias de derrota onde tudo tende a dar errado. Quase não conseguimos localizar o outro flat porque, adivinhem só, apesar da localização incrível, nenhum imóvel da rua tinha número. Fomos os primeiros a chegar e enquanto aguardávamos os outros interessados, o rapaz super legal da imobiliária nos deu uma dica de ouro: o flat será daquele que chegar primeiro a imobiliária que, coincidentemente fica no coração da cidade, na mesma rua do flat e no topo de uma ladeira.

Isso mesmo, você leu certo. Teríamos que subir uma ladeira correndo na chuva – o cúmulo do desespero – para conseguir alugar o nosso possível lar doce lar pelos próximos doze meses. Você faria o quê? Depois de tudo que a gente já passou só poderíamos achar tudo muito divertido, óbvio.

Quando as outras pessoas chegaram e a porta da esperança do flat foi aberta, nós ouvimos aquele coro angelical, vimos aquela luz descendo do céu e dissemos um para o outro: É ESSE. Enquanto a menina que se mostrou nossa principal rival nessa disputa questionava o tamanho do guarda roupa, nós corremos. Sim amigos, corremos para a luz e para o topo da colina em busca do lar doce lar prometido.

A outra menina estava de carro, portanto teria alguma dificuldade para se descolar e estacionar, já que era hora do rush. Como o coração de Murphy é igual ao coração de mãe e ele também nos ama, enquanto nós corríamos nós consideramos a possibilidade dela vencer o engarrafamento, pular do carro em movimento e chegar na nossa frente, enquanto a BMW branca dela se chocaria no restaurante localizado logo em frente, o que não seria um problema porque o seguro dela cobriria tudo, etc.

Quem chegou primeiro? Quem teve o cartão do banco bloqueado e não conseguiu sacar o dinheiro para pagar o depósito? Quem perdeu os passaportes? Quem conseguiu alugar o flat? Você conhecerá as respostas de todas essas perguntas no domingo, após o fantástico – se eu ainda tiver casa e internet. Beijos.

Exagerada? Imagina.


“..Well pull up the John B's sails
See how the mainsail sets
Send for the Captain ashore
And let me go home
Well, I wanna go home
'Cause I feel so broke up
Lord, that I wanna go home”
(escute aqui)

5 comentários:

  1. Legal essa música...
    Tá bom, vai... concordo com você! tá f...
    Mas se a gente olha pra trás, até nos momentos mais difícis, a gente pena durante um tempo e, de repente, o problema some.
    Não sei como acontece. Mas eles somem. Um dia desaparecem, viram lembranças.
    Estou aqui, de fora, e o que consigo visualizar é que nessa história toda vc já encontrou pelo menos 3 lugares legais.
    Tem outros lugares legais. Um deles vai ser de vocês...
    Espero ler logo um post contando essa vitória!
    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demorou, mas deu certo Keila!
      Graças a Deus!!!

      Um beijo!

      Excluir
  2. Aêeee!!!
    Vivaaaaa!!! já soltou os foguetes?!!!!
    Máximo! bom demais!
    Parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Mas faltou contar como é que foi...
    Vocês tiveram que engolir fogo, dançar com serpentes venenosas, enfrentaram lobos famintos... como é que foi que conseguiram? imagino que tenha sido super emocionante o capítulo final da saga...
    Agora, sim... vc está devendo... rsssssssssss
    Conta, vai... nós, seus leitores ansiosos, queremos saber...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Ainda bem que não tinha visto isso senão ficaria curiosa pra ver como termina rs.

    Kisu!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)