20.10.12

Aviso aos navegantes

Eu já escrevi umas mil vezes por aqui que eu penso demais, isso não é novidade. O que acontece é que em alguns dias eu preciso transformar essa tempestade de pensamentos em palavras, para tentar reorganizar as ideias aqui dentro. Dependendo do meu humor e do tom de cinza lá de fora, algumas das minhas reflexões soam como reclamação, o que não é verdade.

Há alguns dias eu venho pensando sobre algo que tem me incomodado bastante, sobre o fato de alguns dos meus textos aqui refletirem a imagem de uma pessoa que eu não sou na realidade, alguém inerte que está sempre reclamando de barriga cheia. Muita gente sabe que não é bem assim, mas nunca é tarde para avisar aos que chegam por aqui ao acaso e se deparam com essas minhas histórias sem pé e sem cabeça.

Eu escrevo sobre momentos meus, bons e ruins. Os bons sempre são mais curtos porque a minha imaginação se perde na minha felicidade. Nos meus momentos ruins eu sou capaz de escrever páginas e páginas, analisando prós e contras e porquês que só podem fazer mesmo algum sentido para mim. Nesses mesmos dias eu sempre acabo publicando alguma ponta de pensamento solto por aqui, para que eu possa me lembrar dos acontecimentos e ver as consequências e os resultados desse momento na minha história.

Não se engane. Sempre que você encontrar uma reclamação por aqui, tenha a certeza de que algo já está sendo feito nos bastidores para que a situação mude. Se existe algo que eu agradeço a Deus todos os dias, em todos os momentos, é essa minha inquietação nata. É isso que me faz buscar novas possibilidades, aprender com os meus erros, buscar novos caminhos e seguir em frente todos os dias.

"Não sei onde eu tô indo,
Mas sei que eu tô no meu caminho.
Enquanto você me critica, eu tô no meu caminho.
Eu sou o que sou porque eu vivo da minha maneira.
Só sei que eu sinto que foi sempre assim minha vida inteira.
Não sei onde eu tô indo,
Mas sei que eu tô no meu caminho.
Enquanto você me critica, eu tô no meu caminho.
Você esperando respostas, olhando pro espaço
E eu tão ocupado vivendo, eu não me pergunto, eu faço!"
(...) 



--
ps: Só para constar e para evitar qualquer tipo de aborrecimento, intriga, discussão ou julgamento, esse texto não é uma indireta e não foi escrito para alguém especificamente. Quis escrever e escrevi. Ponto. Também não custa nada lembrar que a minha vida é real e que esse blog é escrito por uma pessoa normal, e não por uma pessoa feliz durante as vinte e quatro horas do dia – essas pessoas só existem no Facebook. ;) 

Um comentário:

  1. Eu nunca tive essa impressão... Gosto do q vc escreve aq. Acho q quem é inerte e só faz reclamar, sequer se motiva a analisar e escrever sobre oq houve, pois este já é um primeiro passo em busca de uma solução.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)