17.10.12

This is not who you are

Foi o que eu consegui dizer em resposta aos questionamentos que ela fazia, tentando em vão procurar uma resposta pronta, um aviso ou um sinal para dar o próximo passo. Parecia que eu estava em frente a um espelho, ouvindo a minha própria voz e os meus pensamentos mais íntimos ecoando no estacionamento meio vazio no final de tarde.

A mesma angústia, a mesma inadequação, a mesma vontade e o mesmo medo. Apesar de estarmos vivendo momentos parecidos, nesse diálogo o meu papel era encorajá-la. Então eu disse tudo que eu desejava que alguém um dia dissesse para mim, de coração. Foi aquele soco no estômago, aquele choque de realidade que nos faz colocar a cabeça no lugar e lembrar que tudo isso não passa de uma experiência, uma história para contar.

Ela disse que iria pensar mais um pouco e que iria me escrever caso decidisse pedir demissão. Nos despedimos com um abraço desajeitado e seguimos por diferentes caminhos. Voltei para casa pensando em tudo que eu disse, em todo o meu entusiasmo para mostrar os pontos positivos em qualquer que fosse a sua decisão, em toda a minha segurança para dizer que ela não se preocupasse que, de um jeito ou de outro, daria tudo certo. Olhei para o meu reflexo cansado e triste na janela do ônibus vazio em que estava e repeti baixinho para mim mesma: this is not who you are.

2 comentários:

  1. Sabe que ajudar alguém me fortalece? De repente, eu vejo quantas coisas bonitas e legais eu tenho dentro de mim. É qdo percebo que não sou tão despreparada pra vida qto me considero algumas vezes. Penso que podia ser pra mim a amiga que sou para os outros. Um pouco mais generosa e compreensiva comigo mesma.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. É verdade Lis, eu também acho que eu deveria ser mais amiga de mim mesma. Resolveria muitas questões, muitas mesmo. :~~

    Obrigada por sempre ter sempre tanto a me dizer, de verdade.
    Um beijo.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)