16.2.13

Dos contrastes


A felicidade estampada em sorriso largo é na verdade uma afronta declarada ao cinza duro e imponente, símbolo de dias negros da história. A sequência de fotos tiradas no Memorial do Muro de Berlim foi feita dias antes de deixarmos a cidade, em um domingo de sol de quase primavera.

Entre imagens e relatos de verdades tristes, nesse dia nós nos perdemos na história. Estar ali, sob a cicatriz real de um tempo que nós conhecíamos através dos livros foi algo muito emocionante. Não tem como não sair daquele lugar sem estar modificado e sem carregar nos ombros um pouco do peso de tantos corpos sem vida. É uma experiência difícil, mas enriquecedora e bonita.

Se por um lado nós chorávamos com os rostos e relatos de tentativas fracassadas, caminhar naquele mesmo lugar e atravessar a cidade, sem muro e sem amarras, nos deixava alegres e agradecidos pela nossa liberdade. Antes de deixarmos o memorial, precisávamos tirar a foto clichê em frente ao muro mais famoso da cidade. Foi nessa hora que ele me pegou no braço e fingiu que me “jogaria” para o outro lado. Foi uma sequência de fotos muito feliz.

Realizar um sonho é mágico e faz com que todos os seus atos sejam uma explosão de felicidade. A alma estampada no sorriso, o brilho no olhar e a alegria dele são incríveis e é o que mais me emociona ao olhar essa foto. Quem o conhece, nem que seja um pouquinho, conhece o respeito de quem vive e respira história por um símbolo ou memória de um lugar. Apesar de desconhecer qualquer manifestação desfavorável, eu tenho certeza de que essas fotos não devem ser bem julgadas por algumas pessoas, mas isso não nos importa e por isso elas permanecem publicadas.

A ignorância está nos olhos de quem vê.

Um comentário:

  1. Aii quero tanto conhecer a Alemanha.... Desbravar aquelas bandas de carro... tô doida pra esse dia chegar...

    Kisu!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)