12.3.13

Dos tesouros


Entre tropeços e escorregões, limpo os joelhos e sigo em frente. Acho graça de cada tombo enquanto pulo para mais uma fase nesse eterno jogo do contente. Eu penso em tudo, eu tento imaginar alternativas, eu alimento esperanças e as enterro logo em seguida. Sonhar custa caro às vezes, já que o preço de não ter o seu sonho realizado é sempre muito alto e muito dolorido. Eu durmo, acordo e vivo cada dia esperando por um sinal, algo que me mostre que eu estou na trilha certa. O mais engraçado disso tudo é que eu passo horas fazendo mapas para desconhecidos, mas não consigo encontrar o meu próprio caminho.


-- 
ps: Já pensou se a gente pudesse escutar a voz de Deus dizendo “volte três casas e tente outra vez” a cada escolha errada que a gente fizesse na vida? 

Um comentário:

  1. Queria muitas vezes que a vida fosse um Jogo da Vida, mas que pudéssemos ver o tabuleiro de cima, escolher nosso caminho, mas infelizmente a gente vai andando sem saber pra onde vai, somente com as escolhas... Mas enfim, essa é a graça do "jogo", né?

    Kisu!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)