11.5.13

Thursdays in the Park


Eu e essa minha mais nova mania de ler livros temáticos nas estações erradas. A verdade é que eu me lembrei da sensação de conforto que o livro sobre o outono me trouxe no último inverno e quis reviver a sensação de estar em dois universos diferentes simultaneamente. Como o sol resolveu nos abandonar nos últimos dias, não pensei duas vezes e levei mais uma capa colorida para casa. Li em dois dias e gostei bastante.

Quando fui atualizar o perfil no GoodReads, fiquei sabendo que ele é um dos best sellers da vez e que recebeu a classificação de “granny-porn” - really? Tudo bem que a história é um clichê sem fim sobre uma mulher que se redescobre aos sessenta, quando enfrenta uma crise no casamento falido de trinta anos e encontra um grande amor, mas não vai muito além disso. Rotular o livro como ‘pornográfico’ me pareceu um grande equivoco, um exagero.

O livro aborda as dúvidas e as inseguranças de uma mulher que continua trabalhando, cuidando da família, saindo com a amiga e fazendo todas as coisas que uma “jovem mulher” faz. Apesar de abordar essa crise de uma maneira superficial, a leitura valeu a pena porque ela me fez refletir sobre algo que eu ouvi da minha própria mãe, quando me disse que achava que na verdade ainda tinha quinze anos enquanto eu penteava os seus cabelos já brancos. Eu nunca tive dúvida, minha mãe é mesmo muito mais jovem que eu.


--
Para quem tiver interesse, tem mais opiniões sobre esse livro aqui no GoodReads

2 comentários:

  1. Eu pulei tantas etapas na vida, que em certas coisas sou adulta demais. Daí fico querendo arrancar os cabelos diante das imaturidades dos outros.

    Mas falando do livro: nunca tinha ouvido falar sobre ele, mas nem me surpreendo com a parte do pornográfico. Depois dos tons de cinza, parece que todo mundo tirou seu livrinho quente da gaveta e transformou em moda...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, acho que a editora ou a pessoa/jornal/revista responsável pela classificação e divulgação do livro quis aproveitar a onda erótica do momento para ganhar a atenção do público dos tons de cinza também. Essa relação entre os dois livros pode ser um grande tiro no pé já que algumas pessoas podem se sentir frustradas pela falsa propaganda enquanto outras poderão gostar do romance água com açúcar, nunca se sabe..

      Não li os 50tc, mas posso afirmar que esse livrinho aí não tem mesmo nada a ver com pornografia, já que quando existe alguma relação sexual no livro - e são três, se não me engano - elas não são exploradas com esse olhar erótico e sim com uma perspectiva mais romântica da malhação ou da sessão da tarde mesmo, já que se trata praticamente de dois adultos agindo como adolescentes. :P

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)