27.6.13

Dos momentos de fúria

Se o país era pura revolta nessas duas últimas semanas, o mesmo posso dizer sobre mim. Não é todo dia que a gente consegue conviver com as dificuldades sorrindo, não mesmo. Depois de alguns dias de fúria, mais uma vez consigo compreender e aceitar que não cabe a ninguém mais a tarefa de mudar e melhorar. Só depende de mim e ponto final.

Tenho escrito com menos frequência, mas tenho tentado fazer bem mais nos últimos dias. Tenho feito com a consciência de que os resultados poderão chegar ou não. Nada é certo mesmo nessa vida, mas eu decidi que é melhor dormir todas as noites com a cabeça tranquila, sabendo e sentindo que eu fiz a minha parte. Eu sei que eu já escrevi isso antes, mas devido a mil e um acontecimentos eu perdi o foco, esqueci e surtei.

Apesar dessa conversa se assemelhar bastante ao ruído de um disco arranhado, eu posso garantir que a partir de agora eu mudei a frequência. Há alguns dias eu venho acreditando novamente que eu só preciso viver uma hora e um dia de cada vez. O que importa é o caminho e os passos que eu irei dar para percorrê-lo. Se isso vai dar certo é outra história e, até o momento, não recebi nenhum spoiler do final.

3 comentários:

  1. Eita! Realmente, melhorar somente a gente, não podemos melhorar as pessoas, o ambiente, as coisas em geral. É bom ter essa consciência. Espero que as coisas acalmem... depois da tempestade.... né?

    Eu postei sobre Bristol... pena que não conseguimos nos ver. Mas vou voltar pq não consegui ver tudo do Banksy rs...

    Kisu e fique bem!

    ResponderExcluir
  2. O mais importante você já descobriu: "Só depende de você, e ponto final".
    Vai em frente, e tudo vai dar certo na hora certa.

    ResponderExcluir
  3. É meninas, eu acho que essas tempestades internas são importantes para que a gente perceba e entenda o que precisa ser mudado em nós. Vou ali exercitar minha paciência comigo mesma e volto já. =*

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)