17.12.13

Déjà vu

As manhãs de dezembro são de uma beleza fria e quietude únicas que fazem um barulho danado no peito. Caminho pela casa enquanto escuto o silêncio de fora e tento compreender o chamado de dentro. Leva tempo, eu sei, nada vem de imediato. Agradeço pelo novo dia, pela cama e pelo alimento do corpo e da alma. Agradeço, mas continuo pedindo e permaneço sempre em dívida. Então o dia acorda, os carros correm, a vida provoca e ensina. Daqui a pouco é vinte e quatro, depois de amanhã os dias terminarão em quartorze. Mas hoje não, o hoje é agora. Um dia de cada vez.

2 comentários:

  1. "Viver um dia de cada vez." Depois de Deus é o que me dá força para continuar vivendoo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho uma tendência muito forte de me preocupar demais com todas as coisas, a ponto de ficar doente. Por isso estou tentando aprender a viver um dia de cada vez. É difícil, mas estou tentando. Já entreguei os meus planos nas mãos de Deus.

      Força por aí Bruna!

      Um beijo!

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)