17.1.14

Das pausas

O inverno tem sido carinhoso até então, sem neve, sem temperaturas muito negativas e com alguns dias de horas ensolaradas. Mesmo assim, ainda travo uma guerra pessoal para enfrentar essa estação instável e difícil, e não quero mais nada na vida além de dormir. Esses dias de longas noites me pedem mesmo é para hibernar.

Venho refletindo há um bom tempo sobre esse hábito que eu sempre cultivei, por necessidade ou costume, de fazer mil coisas ao mesmo tempo. O resultado desses anos de rotina maluca é o convívio com uma pressão e um sentimento de culpa diários por não estar fazendo sei lá o quê quando me deparo com essas situações de pausa. Até que um belo dia eu me conta da bobagem que eu vinha fazendo comigo mesma.

Felizmente eu me dei conta que eu poderia viver esse momento sem que isso precisasse significar algo negativo. Enquanto tenho uns dias a mais de folga, aproveito para refazer meus planos. Vou ouvindo minhas músicas preferidas, conversando bobagem, enxergando a vida com outros olhos e aprendendo um pouquinho mais a cada dia. Ao mesmo tempo, amadureço novas ideias e penso no que eu realmente quero fazer e onde quero estar. Uma dica apenas: tem sol o ano inteiro.

3 comentários:

  1. É bom quando podemos parar e pensar...
    Gostei muito da parte de hibernar, afinal se parece comigo...
    Pena que o tempo é pouco.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, por aqui vou aproveitando para hibernar enquanto tenho tempo e não tenho outra opção. =~~

    ResponderExcluir
  3. Às vezes a gente precisa fazer uma pausa na agitação de nossa vida. Parar para refletir e ponderar realmente o que é importante na nossa vida se faz necessário. Eu sei que a gente quer abraçar o mundo, porque eu sou assim também, mas nem sempre ele pode ser abraçado.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)