26.1.15

Das grades

A brisa leve e solta da orla contrasta cruelmente com a sensação de calor e de enclausuramente no restante da cidade. Enquanto os tênis coloridos correm ligeiros entre ondas, bicicletas e patins, a realidade nos outros bairros é simbolizada por grades em todos os lugares. Não se vê mais o colorido das portas e janelas sem a presença dessa prisão.

Tem sido bom ver que finalmente algumas decisões estão sendo tomadas para um melhoramento de algumas áreas de Fortaleza, mas me entristece bastante saber que eu preciso me deslocar até o bairro nobre para usufruir de uma liberdade que deveria existir para todos e em todos os lugares. Um passo de cada vez e um dia a gente chega lá, eu sei.

Eu espero, do fundo do coração, que a mudança possa chegar aqui também. Que eu possa aproveitar a brisa da lagoa ao lado da minha casa para caminhar no final de tarde com segurança, que eu possa também andar de bicicleta verde em uma faixa exclusiva para esse meio de transporte, que eu possa ter acesso à tantos outros equipamentos urbanos. Eu não quero shopping, eu quero cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)