6.12.16

Dos nadas

Eu tinha planejado fazer algumas coisas no final de semana, mas depois de ter tido também alguns dias tão difíceis, confesso aqui que escolhi simplesmente fazer nada. Eis uma pequena lista de alguns “nada” que foram feitos sem nenhum peso na consciência:

·         Escolhi dormir muito, até tarde, no sábado e no domingo;
·         Por conta da escolha anterior, escolhi não ir à praia cedinho;
·         Escolhi tomar café na hora do almoço;
·         Escolhi não sair de casa para resolver pendências no sábado à tarde, como havia planejado;
·         Escolhi não fazer o trabalho que o professor havia pedido para segunda feira;
·         Escolhi não estudar as duas mil horas prometidas para mim mesma em momentos de desespero;
·         Escolhi não iniciar a mega faxina de dezembro, não agora;
·         Escolhi ficar na cama, sem culpa nenhuma, aproveitando o meu tempo de ócio;
·         Escolhi assistir filmes bobos;
·         Escolhi pipoca e sorvete, não tem escolha mais feliz;

Escolhi tirar um pouquinho o peso da cobrança dos ombros e, vejam só, a segunda feira foi um dia normal! Os prazos de entrega dos nossos projetos foram reajustados, os telefonemas, as cobranças.. fluiu tudo normal! Para fechar o dia, ainda fiz o trabalho para a faculdade, mas o professor teve um imprevisto e não pode dar aula! 

Enfim, esse é um post infantil para lembrar a mim mesma que a gente corre tanto, se cobra e se desgasta tanto por coisas tão pequenas, que acaba esquecendo o essencial, como dar um abraço na pessoa que mais ama antes de sair de casa. A vida é um sopro, minha gente. Um sopro e nada mais.

Um comentário:

  1. Tu fez muito bem em reservar um tempo pra ti fazer vários nadas. Precisamos de momentos assim, temos que parar de pensar um pouco, relaxar e aproveitar as coisas simples da vida como dormir até tarde. Faça isso pelo menos uma vez por semana que vai fluir tudo bem melhor.
    Beijos
    Mundo de Nati

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)