23.4.17

Das Caixas

Depois que aprendi a me desapegar de quase tudo, tem sido difícil para mim voltar a comprar determinadas coisas. Como nesse momento tenho a sorte de ter acesso a várias bibliotecas por aqui, sempre que preciso de um livro para estudo ou lazer, recorro ao empréstimo. Isso tem funcionado bem para mim, o que me leva a comprar livros somente quando preciso dar algum presente.

Nos últimos meses, senti necessidade de começar a adquirir um material mais “meu”. Com o retorno aos estudos, obviamente, preciso fazer observações e anotações e, por usar um material emprestado, eu não poderia riscar ou danificar de nehuma forma os livros que estavam comigo. Acho um absurdo quem suja, danifica e rabisca um livro alheio, principalmente os da bibliotecas.

Eu já estava “juntando as moedas” para adquirir os livros mais urgentes na bienal essa semana quando tive uma grata surpresa. O vizinho que está de mudança deixou uma caixa de livros na rua para doação. Quando abrimos a caixa, advinha só quem estava lá entre tantos volumes: os três livros que eu iria comprar! Não teve jeito, abraçei os livros e pulei de alegria. Quem não pularia?

2 comentários:

  1. Eu não dou uma sorte dessas. Rs. Minha lista de livros para comprar é bem longa.Rs. <3

    ResponderExcluir
  2. Adoro esses momentos que parecem que acontecem especialmente para a gente!

    p.s: eu também abraçaria os livros. E pularia de alegria, claro!

    Tenha uma semana cheia de outras boas surpresas.
    O Único Jeito

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)