7.5.17

Dos alertas

Os dias têm passado sem que eu me dê conta, nem acredito que já é domingo outra vez. Tudo bem que os benditos feriados de abril contribuíram um pouco para essa sensação de distorção do tempo, fazendo das quintas novas sextas e das terças novas segundas. Mas os feriados, apesar da grande ajuda, foram poucos para uma cabeça que não descansa.

Não encontrei ainda a fórmula mágica do equilíbrio e preciso confessar que esse tudo-ao-mesmo-tempo-agora de acontecimentos têm me levado à completa exaustão física e mental. Parece que vinte e quatro são poucas horas ou então sou eu que estou tentando dar passos mais longos que minhas pernas podem alcançar.


Já recebi um sinal de alerta, preciso desligar.