10.9.17

Do domingo

Acho que assim como grande parte das pessoas, nunca fui muito fã do domingo. Por mais que eu aproveite bem as minhas horas de descanso no sábado, sempre tenho aquela famosa depressão pré-segunda-feira. Bem que o relógio poderia desacelerar e demorar mais um pouco para o final de semana acabar, não é mesmo? Mas já que não dá, o jeito é encarar a realidade.

Para falar a verdade, domingo continua não sendo o meu dia da semana favorito, mas depois ver por aí nas redes uma imagem que falava sobre aprender a atribuir coisas boas não só para a sexta-feira ou para o sábado, resolvi dar uma nova chance e tentar deixar o preconceito de lado para aproveitar melhor o meu domingo também.

O ideal mesmo seria passar o dia ao ar livre, curtindo uma praia ou fazendo um passeio no parque. Mas, como na realidade nem sempre isso é possível ou eu mesma não tenho disposição para para sair no sol, me dou de presente o privilégio de dormir até um pouquinho mais tarde. Tomo o meu café com calma, converso com minha família, cuido das plantas e faço um pequeno, mas necessário, ritual de beleza.


Ouvir música, ficar em silêncio, ler um livro leve, dormir um pouco mais durante a tarde, aproveitar a cama e a preguiça do fim de tarde sem culpa tem sido muito bom também. Mas o aprendizado mais importante dessa tentativa carpe diem de ser não é só sobre aproveitar o dia de hoje, mas também sobre cuidar da ansiedade e a aprender a deixar o amanhã para amanhã. Sem pressa, um dia de cada vez.

2 comentários:

  1. eu já fui dessas que tinha horror ao domigo... ele sempre significava algumas despedidas e o começo de uma longa semana. com o tempo, fui aprendendo a tirar proveito do dia e esquecer a ideia de que domingo é só uma pré segunda-feira. hoje em dia não diria que adoro domingo, mas eu e ele convivemos em harmonia rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por aqui, aos poucos, estamos nos entendendo também. :)

      Obrigada pela visita!

      Excluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)