29.10.17

Do amanhã

Eu frequento uma terapia em grupo há algum tempo. Temos um encontro semanal onde lemos um texto, fazemos uma reflexão sobre o que foi lido e depois as pessoas se sentem a vontade para falar ou não sobre o tema em questão. Compartilhamos situações difíceis, pequenas vitórias, algumas tristezas e aprendemos sobretudo a ouvir e a tentar compreender o outro. Opiniões são dadas, novos pontos de vista compartilhados e a cada encontro saímos com a sensação de que temos ainda muito a aprender. Tem me feito muito bem.

Em um desses encontros, conversávamos sobre a violência e as suas consequências nas nossas vidas. Nossa mediadora, que é uma pessoa de uma sensibilidade incrível, encontra sempre o momento certo para intervir e fazer algum questionamento que nos leve a analisar a situação por um prisma diferente. Na última reunião ela fez o comentário que transcrevo abaixo:

Muito se fala sobre violência, sobre o medo de morrer, sobre a possível existência de vida após a morte... Mas existe vida antes da morte?”

Foi interessante ver um grupo de mais de vinte pessoas emudecer ao mesmo tempo. Nós temos a certeza de somos indestrutíveis, de que nada de mal nos acontecerá, de que a morte não baterá à nossa porta e seguimos deixando tudo que deveria ser primordial para depois. Para depois a ligação para os pais, o abraço na avó de quase noventa anos, o “tá tudo bem com você?” para os próprios irmãos, o agradecimento ao amigo um pouco ausente... E se o amanhã não chegar?

O quê você anda fazendo da sua vida?
E da vida das pessoas que passaram pelo seu caminho?
Que sementes você quer deixar para quando não estiver mais aqui?
Que lembranças os outros terão de você?

Há algum tempo eu passei a me cobrar responsabilidade sobre os meus atos e sobre as consequências diretas e indiretas que eles podem exercer sobre outras pessoas. É um caminho difícil e obviamente não podemos trazer para nós todas as consequências das escolhas de outras pessoas, mas acredito seriamente que muitos problemas poderiam sim ser evitados se todos tivessem um pouco mais de consciência de si e dos seus atos. 

Como a última reunião nos deixou com esse convite à reflexão, resolvi vir ao blog para deixar um registro e para fazer um convite também a quem quer que passe ao acaso por aqui. E, por mais clichê que possa soar: o que você fez da sua vida até hoje? E se o amanhã não chegar?

Um comentário:

  1. Eu gostaria de fazer terapia em grupo um dia pra ver qual é. Faço terapia há algum tempinho e acho fantástico qdo a terapeuta propões esse tipo de reflexão. Pode ter certeza de que seu propósito deu certo!

    A proposito,eu adorei o blog, viu! :D

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)