20.2.18

Da época

Depois de tantos dias de chuva, a ladainha no jornal é a mesma de sempre: rua que alaga, bueiro que entope e o riacho-esgoto que transborda por conta do lixo despejado clandestinamente nas ruas. Em seguida, temos a chamada que alerta para a quantidade de hospitais e postos de saúde superlotados por conta das inúmeras doenças “da época”. É assim por aí também?



A gente sabe que deveria existir uma atenção maior para a manutenção da infraestrutura básica das nossas cidades, já que elas crescem desordenadamente devido a falta de um planejamento urbano adequado. Tem o fator climático também e esse ninguém consegue controlar, mas e o que depende unicamente de nós, como o senso de coletividade e a educação? 



Se a coleta funciona porta a porta três vezes por semana, o que leva uma pessoa a se sentir no direito de retirar os resíduos que ela produz e despejar no meio da rua ou na porta de outra casa em um dia qualquer? Se o vizinho faz isso, então a pessoa acha que pode fazer também? Os políticos são corruptos, então a pessoa tem o direito de sujar a rua? É porque “a rua é pública”?



Não estou questionando aqui o ato de não separar os resíduos e de não ir deixar no centro de reciclagem mais próximo, estou falando simplesmente sobre colocar “o lixo” para fora no dia da coleta! Se é algo que afeta a saúde, como as pessoas não compreendem essa relação e sujam o local onde vivem? Qual a justificativa para abrir a janela do quatro por quatro do ano e jogar a sacola de fast food que acabou de consumir na rua? Quem tem a obrigação de limpar a sujeira que você mesmo faz? 

Qual é a desculpa da vez para continuar jogando lixo no chão? 



---
Curiosidade: Não sabe qual é a diferença entre "lixo"e "resíduo"? Então veja aqui!  ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)