9.1.19

Da mente

Já fazia um tempo que eu reclamava que andava muito acelerada, mas eu não tomava nenhuma atitude para evitar que isso acontecesse, até que isso começou a refletir diretamente no meu corpo e na minha mente. Li sobre o benefício da meditação para diminuir as crises de ansiedade e tentei assistir milhares de vídeos de meditação guiada pela internet. Nunca deu certo. Eu não conseguia me concentrar com aquelas vozes falando instruções pausadamente e as músicas ou me davam sono ou me irritavam profundamente. Outro dia vi uma palestra da Monja Coen e gostei bastante da desmistificação que ela faz sobre a prática em si, fiz o exercício que ela ensina no início da palestra uma vez só e também deixei para lá. Hoje encontrei esse texto sobre um passo a passo simples de meditação para iniciantes e encarei como um convite do universo. Resolvi tentar. 

----

Dia 1 - 8h40min

Havia muito barulho no momento, carros passando, vizinhos conversando alto na calçada, uma furadeira insuportável na obra da casa ao lado, cachorros latindo e o forró eletrônico de sempre ecoando pela rua. Optei por ficar sentada na cadeira da sala e, apesar das distrações do ambiente, fechei os olhos e passei a me concentrar na minha respiração. O engraçado é que logo no início percebi que estava respirando muito mal mesmo, de maneira muito irregular. Também percebi a diferença entre o chão frio e a temperatura ambiente. Consegui ficar assim por cinco minutos e comecei a bocejar. Eu já estava um pouco cansada por conta dos exercícios que havia feito na academia mais cedo e resolvi interromper por hoje. Minha meta é prosseguir com pelo menos cinco minutos de exercício durante os próximos sete dias.

----

Dia 2 - 11h55min

Aguardei por um momento em que o ambiente estivesse mais silencioso e, por isso, acabei fazendo o exercício no final da manhã. Eu estava particularmente agitada por conta de uma consulta no dentista, que estava agendada para o período da tarde, apesar de não ter medo ou trauma com relação a isso. Me senti muito desconfortável e, definitivamente, não consigo respirar fundo e vou prestar mais atenção a como respiro durante o restante do dia. Cinco minutos é o máximo de tempo que consigo permanecer focada.


----

Dia 3 - 13h30min

Não tive tempo de fazer o exercício pela manhã, então aproveitei o momento de calmaria após o almoço para cumprir a minha meta de hoje. É engraçado perceber o quanto a minha audição fica mais aguçada durante esses minutos em que paro para "aprender a respirar". Fiz muitas coisas pela manhã e tenho ainda muitas coisas para organizar durante a tarde, o que me deixa um tanto elétrica. Abri os olhos alguns segundos antes de chegar aos cinco minutos de exercício e mais uma vez não consegui respirar direito. Acho que cinco minutos é insuficiente e devo permanecer mais tempo tentando.

----

Dia 4 - 21h20min

O dia foi muito quente e o ambiente estava insuportável por conta do calor. Acabei deixando o exercício para a última hora, optando por fazer antes de dormir. Tomei um banho para esfriar um pouco o corpo e a cabeça, já que eu ainda estava um pouco estressada por conta de uma discussão besta que tinha tido momentos antes. Consegui ficar pouco mais de cinco minutos concentrada e acho que teria conseguido ficar mais um pouco se o cachorro do vizinho não tivesse começado a latir desesperadamente, o que me fez perder a concentração.

----

Dia 5 - 16h

Aproveitei nossa ida à praia e fiz uma tentativa diferente! Durante o exercício de hoje, fiquei deitada na areia, de olhos abertos mesmo, e fiquei olhando para o céu azul. Consegui me desligar totalmente do ambiente durante alguns momentos e não tenho ideia do tempo que consegui ficar assim, mas foi muito relaxante!

----

Dia 6 - 06h

Acordei cedinho para ir à academia e resolvi fazer o exercício enquanto todo mundo dormia. Chovia bastante, mas o ambiente estava bem silencioso. Decidi não me preocupar mais tanto com a minha respiração nesse momento, já que perceber o quanto respiro mal estava me desconcentrando. Decidi seguir devagar, mas sempre tentando, até que o corpo reaprenda a desacelerar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada pela visita e pelo comentário! :)